Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Vai mas é trabalhar!!!

O "Chato" regressou no Dia do Trabalhador com uma sessão privada das suas reprimendas para os leitores do Expresso

Nuno Markl e E Francisco Martiniano Palma/Produções Fictícias

Ai, olha para mim, a ler o Expresso! Não percebo nada do que está aqui escrito, mas sempre fico com estilo. Tenho é de ler na rua, para as pessoas me verem... E ainda por cima hoje, Dia do Trabalhador, 1º de Maio..."

Lá está: Dia do Trabalhador. Não é o Dia do Leitor do Expresso, mas para ti é igual ao litro. Parece que te estou a ver: refastelado aí na esplanada da pastelaria, a comer uma carcaça com manteiga e a beber um abatanado. E a ler o Expresso. Só porque é um jornal grande que se farta, para ti, só tê-lo nas mãos já é exercício. "Ai, eu faço exercício, eu faço exercício." Fazes. Praticas a viragem de páginas do Expresso, que para ti deve ser quase como fazer dança jazz durante duas horas. Ainda por cima, esta parte nem sequer está no jornal, está na revista, que é mais pequena e que não dá trabalho nenhum a pegar. Isso tem um nome: preguiçoso. Que é o que tu és. Preguiçoso ou preguiçosa, eu daqui não vejo. Mas deve ir dar ao mesmo: sejas homem ou mulher deves ter buço na mesma! Porque tratar de ti dá muito trabalho, não é?

Ainda por cima, sendo 1º de Maio, não é só buço. É buço e boné do Sumol na cabeça! A passear pela Avenida: "Ai, estou-me a manifestar, estou-me a manifestar." Pois, tu manifestas-te aí e depois, se estiver sol, manifestas-te também na Costa da Caparica! E pelo meio fazes um almoço de protesto. Comes um arroz de marisco contra o Governo!

Vai mas é trabalhar, ó! Como as pessoas. Vai fazer alguma coisa de útil pela sociedade!

Espera! Estou a ser injusto. Tu preocupas-te com os problemas dos trabalhadores. Preocupas-te pelo menos com um problema dos trabalhadores. Porque o tens. Sabes qual é? É o Dia do Trabalhador, este ano, calhar a um sábado! O ano passado é que foi bom - calhou à sexta. E quando não calha a uma sexta-feira, não faz mal. Sabem porquê? Porque para isso é que servem as greves, ora!... "Todos à greve geral, sexta-feira!" Então e se sexta-feira já for um feriado qualquer? - "Todos à greve geral, quinta-feira!"

Sim senhor!... O Dia do Trabalhador! "E o que é que eu faço no Dia do Trabalhador? Vou passear com os amigos para a Avenida!" Ui, que isso dá cá uma trabalheira!... Escuta: para chamares trabalho a isso de passear na Avenida, falta-te uma mini-saia, meu menino! Uma mini-saia e muito baton e rímel!...

Querem celebrar o Dia do Trabalhador, então vão mas é trabalhar, como as pessoas! Vão fazer alguma coisa de útil para a sociedade, em vez de estarem para aí a ocupar a estrada!... E quem quer ir trabalhar hoje, como é que passa aqui? Pelo ar? É que vocês não trabalham, nem deixam trabalhar!...

Não haver uma força policial com cães para atiçar a essa gente toda. Mas qual quê! Nem os cães trabalham! E os que trabalham fazem o quê? Cheiram droga. Isso não é trabalhar, isso é ser drogado.

Onde é que está a polícia de choque quando precisamos dela? Na volta, também andam hoje para ali pela Avenida, a passear rua abaixo, a apanhar ar, em vez de lançarem umas granadas de gás lacrimogéneo para acabar com aquela palhaçada! Vão mas é trabalhar, ó!

"Ah, eu estou aqui, na manifestação, porque estou desempregado!"

Então se estás desempregado, o que é que fazes aí, no Dia do Trabalhador? Tu, no Dia do Pai, por acaso celebras o Dia da Mãe?!...

E isso dos sindicatos é o quê, que eu nunca percebi bem? É uma espécie de uma sociedade recreativa, não é? Fazem... "actividades". Querem uma boa actividade? Cada um pega na sua vassoura e num saco de plástico, e vão apanhando as porcarias dos papéis e paus de gelado e cocós dos cães desde o Marquês até aos Restauradores!...

"Ai, eu sou professor e estou há dois anos para conseguir uma colocação decente!" E achas que é aí que vais ser colocado? Escuta: queres uma colocação decente para ti? Debaixo da terra. De olhos fechados. Mesmo que não te agrade muito, olha, sempre dás mais hipóteses aos teus colegas... Isso sim, é que é ser solidário.

E para isto da manifestação do 1º de Maio, parece que vem gente do norte ao sul do país!

Vieram manifestar-se!... Manifestar-se, e conhecer o Colombo! Uma viagem de camioneta até Lisboa, sem pagar um tostão, não haviam de manifestar-se!... Isto desde que a câmara vos empreste a camioneta, até na Parada Gay vocês desfilam! "Ai, não, não! Nós estamos aqui, unidos em defesa dos direitos da classe!"

Direito a quê? A um boné do 1º de Maio e um apito? Mas que classe é a vossa, afinal? A 4ª classe, não?! Vão mas é trabalhar, ó!... Trabalhar, não. Vão mas é estudar. Aprender. Instruírem-se. Para quando forem velhos, fazerem qualquer coisa de útil para a sociedade, ó!

Ninguém trabalha neste país. Ninguém faz nada. Há tão pouca vontade de trabalhar, que o Sócrates e o Jardim fizeram as pazes. Só para não terem a trabalheira de se chatearem um ao outro. Lá estava ele, na Madeira, todo pimpão, o Sócrates. Diz que foi lá dar um abraço. Atenção que eu disse "dar um abraço", não disse "dar aos braços"! Isso é que era bom!

E agora vem o Papa. E agora é só gente a converter-se à Igreja Católica! Porquê? Então, porque parece que dão três dias de tolerância de ponto para ver o homem! Assim, até a moça do "Exorcista" se convertia à Igreja! Essa é outra: "Ai, estou possuída pelo demónio, estou possuída pelo demónio." Onde é que ela passa o filme quase todo? Na cama! Já vi desculpas melhores para estar deitado!

Se no Dia do Trabalhador se faz tudo menos trabalhar, então isto devia era chamar-se não o Dia, mas o Mês do Trabalhador. É que este mês não se vai fazer a ponta de um corno! Com o Rock in Rio e a visita do Papa, vai ser só ouvir música e rezar, rezar e ouvir música... Isto não é um país, isto é um disco dos Enigma!

Vão mas é fazer alguma coisa de útil pela sociedade!

Olha, como o pessoal do Expresso: amanhã esta papelada toda já está a forrar um caixote do lixo qualquer!

Vão mas é trabalhar, ó!

Como as pessoas!

Publicado na Revista Única do Expresso de 1 de Maio de 2010