Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Rubén Juárez (1947-2010)

A morte ontem, em Buenos Aires, do cantor de tango e bandoneonista argentino Rubén Juárez, comoveu a Argentina. (Veja vídeo no fim do texto)

Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt)

Era um dos maiores músicos - tocava bandoneon - e cantor de tango. Rubén Juárez gravou mais de uma dezena de álbuns e fez várias digressões pela América Latina e Europa. Jornais como o "Clarín" prestaram-lhe tributo.

Também actuou junto com o fadista português Carlos do Carmo, os espanhóis Joan Manuel Serrat e Ana Belén, e, ainda, os argentinos Mercedes Sosa, Charly García e Fito Páez, entre outros.

Participou, com o seu bandoneon, do disco "Sombras da China", de Joan Manuel Serrat.

As portas do Salão Presidente Perón na Legislatura (nome dado na Argentina ao Parlamento), em Buenos Aires - onde o corpo ficou em câmara ardente - ficaram abertas até 1h30 desta madrugada para a vigília.

Nascido na província de Córdoba, Argentina, o compositor cuja morte comoveu a Argentina foi cremado hoje no cemitério do bairro Chacarita. Antes, porém, o corpo foi trasladado até às avenidas Corrientes com Esmeralda, esquina tradicional do tango, espaço boémio e cultural da cidade, onde o compositor foi homenageado com uma placa com o seu nome.

Rubén Juárez tinha 62 anos e morreu de cancro.