Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Procissão "Ecce Homo" cancelada em Braga

Momento alto da Semana Santa bracarense, o cortejo religioso que evoca o julgamento de Jesus não pode realizar-se, por causa da chuva. Mais a sul, há estradas submersas devido à subida dos caudais dos rios.

A "cortina de chuva" que se abateu sobre a cidade de Braga impediu hoje os farricocos, tochas e peregrinos de percorrerem as ruas na procissão "Ecce Homo", um dos momentos "mais esperados" na Semana Santa bracarense.

No entanto, e para assinalar a noite, será realizada uma cerimónia na Sé de Braga, presidida pelo arcebispo primaz de Braga, Jorge Ortiga, iniciativa que não afasta "a desilusão" daqueles que ainda tiveram coragem para se deslocar ao centro histórico da cidade.

"Ecce Homo", organizada pela Santa Casa da Misericórdia, evoca o julgamento de Jesus, celebra a "misericórdia por Ele ensinada" e retrata a forma como Cristo foi apresentado por Pilatos: "Eis o Homem".

Reza a tradição que o cortejo seja encabeçado pela figura do farricoco, uma alegoria aos antigos penitentes públicos, que, trajados de túnicas pretas e de cabeça tapada, vão chamando a atenção para o povo com o "reco-reco" que produzem, barulho das matracas a rodarem um eixo.

A Semana Santa de Braga inclui ainda uma terceira procissão, depois da Procissão da Nossa Senhora da Burrinha, realizada quarta-feira, a Procissão do Enterro do Senhor, que deverá percorrer o centro histórico de Braga na noite de sexta-feira.

Estradas submersas

Também por causa do mau tempo, sete estradas estão submersas devido ao aumento dos caudais dos rios Tejo e Zêzere, mantendo-se o "aviso amarelo" para as zonas ribeirinhas, com a proteção civil de Santarém a admitir que mais estradas possam ficar inundadas.

A subida dos caudais dos rios levou à ativação, às 18h30 de quarta-feira, do Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo, mantendo o nível de alerta "amarelo", o segundo da escala de perigo.

O parque de estacionamento de Constância, junto ao rio Zêzere, é uma das zonas que se encontra submersa, tal como três estradas de Coruche (Ponte do Rebolo, Ponte da Amieira e estrada de Meias), concelho onde se regista também a inundação de campos agrícolas na margem esquerda do Rio Sorraia.

Em Benavente, está submersa a Estrada Municipal (EM) 1456 (Estrada do Campo), na Golegã, a EM 30 (que liga Azinhaga à Ponte do Cação) e a EM 1 (entre a Ponte da Broa e a Ponte dos Lázaros).

Em Alpiarça, a água chegou à Estrada do Mouchão.