Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Prisioneiro que matou e comeu pulmão da vítima chega a tribunal

Nicolas Cocaign matou o seu colega de cela, comendo-lhe de seguida parte do pulmão. Sem demonstrar arrependimento, aquele que ficou conhecido como o "prisioneiro canibal" chega hoje a tribunal.

Paula Cosme Pinto (www.expresso.pt)

Em Janeiro de 2007, Nicolas Cocaign sufocou outro prisioneiro até à morte, esfaqueou-o com uma tesoura e comeu-lhe parte de um pulmão, que cozinhou com bocados de cebola dentro da cela de ambos, utilizando uma frigideira eléctrica.

Acusado de homicídio, actos bárbaros e ameaças à vida na prisão, o alegado canibal francês, de 39 anos, foi presente hoje a tribunal para o início do julgamento.

O corpo mutilado do colega de cela, Thierry Baudry, também francês, foi encontrado pelos guardas da prisão. Após a autópsia, que revelou a falta de dois músculos do peito e de parte do pulmão esquerdo, Cocaign confessou o crime e chegou mesmo a dizer que naquele dia se tinha confundido, pensando que estava a comer o coração da vítima. "Queria ter-lhe tirado a alma", comentou sem arrependimento.

Julgamento rápido

Na altura, Nicolas Cocaign estava em prisão preventiva, por assalto à mão armada. Agora, mais de três anos depois do dia do crime, o assassino canibal recebe tratamento contínuo e sente-se "estável".

O julgamento começou hoje no tribunal de Rouen, na Normandia, e o veredicto final deverá ser conhecido até quinta-feira.