Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Morreu Robert Bréchon

Robert Bréchon, um dos mais importantes especialistas na vida e obra de Fernanda Pessoa morreu há dias, mas só agora se soube.

O ensaísta literário Robert Bréchon, 92 anos, faleceu na passada sexta-feira, informou hoje a Biblioteca Nacional de Portugal (BNP), no seu sítio na Internet.

A BNP afirma que Bréchon era "um dos mais importantes especialistas estrangeiros na vida e obra de Fernando Pessoa".

"Robert Bréchon iniciou os seus contactos com a língua portuguesa quando foi diretor do Liceu Francês no Rio de Janeiro, tendo mais tarde dirigido o Institut Français de Lisboa e desempenhado funções de conselheiro cultural da embaixada de França, em que sucedeu a Pierre Hourcade", escreve a BNP.

O ensaísta viveu na capital portuguesa de 1962 a 1968, tendo conhecido "o meio literário português", conforme a BNP que lembra o facto de Bréchon ter sido "amigo de Ramos Rosa, através do qual conheceu autores como Sophia de Mello Breyner Andresen, Herberto Helder, Vergílio Ferreira e Ruy Cinatti, e descobriu a obra de Pessoa, especialmente pelo contacto com Jacinto Prado Coelho e João Gaspar Simões".

"Fernando Pessoa et ses personnages", publicado na revista Critique, nº 251, em abril de 1968, foi o seu primeiro artigo sobre o poeta de "A Mensagem".

O investigador francês "produziu numerosos artigos, ensaios e prefácios, mas também conferências, não só sobre a obra de Pessoa, em que se destacou, mas sobre outros autores da literatura portuguesa contemporânea, como José Régio, Vitorino Nemésio e António Ramos Rosa".

Com Eduardo Prado Coelho dirigiu as "Œuvres de Fernando Pessoa", publicadas em nove volumes, em França, entre 1988 e 1992.

Sobre o poeta escreveu duas obras biográficas: "Étrange Étranger: une biographie de Fernando Pessoa" (1996) e "Fernando Pessoa. Le voyageur immobile".

"Bréchon produziu ainda seis capítulos sobre história da literatura portuguesa abrangendo o período de 1934 até ao final do século XX, com que completou a obra de Georges Le Gentil, 'La Littérature Portugaise' (1995), e prefaciou a 'Anthologie de la Poésie Portugaise Contemporaine', de M. Chandeigne (2003).