Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Contestação aumenta número de manifestações em mais do triplo

Portugal saiu à rua. No ano passado, o número de manifestações cresceu mais de 300% em relação a 2011 e deu trabalho a 17 mil polícias, quase todos da PSP.

Carlos Abreu

Jornalista

Durante o ano passado as forças de segurança, com especial destaque para a PSP efetuaram 3012 operações policiais, para assegurar o regular exercício de direito de reunião e manifestação, mais do triplo das registadas em 2011 e 18 vezes mais do que em 2009.

Segundo o Relatório Anual de Segurança Interna, publicamente apresentado na segunda-feira mas só ontem entregue ao Expresso, estiveram envolvidos nestas operações 16.672 efetivos policiais, mais 80% do que em 2011.

Destes, 15.096 polícias, mais de 90% de todos os efetivos, pertenciam à PSP, que se encarregou da segurança dos intervenientes, da regularização do trânsito, da prevenção geral e da manutenção da ordem pública, em 2813 manifestações, 93% de todas as que foram vigiadas pela polícia.

Há cerca de duas semanas, durante a cerimónia que assinalou o 146.º aniversário do Comando Metropolitano de Lisboa a PSP, o comandante, superintendente Constantino Azevedo Ramos revelou que, em 2012, tinham-se realizado nas ruas da capital 579 manifestações.

33 detidos e 149 identificados

No seu discurso, citado pela Lusa, o superintendente Constantino Azevedo salientou a preocupação deste comando, "sobretudo nos três últimos anos de maior conflitualidade social, em aprimorar as fases de planeamento, execução e de avaliação dos dispositivos policiais em manifestações públicas de protesto com o objetivo de garantir o direito de reunião".

O comandante de Lisboa destacou também "o trabalho preparatório de contacto e diálogo entre a PSP e as organizações de manifestantes, o planeamento criterioso de todos os movimentos táticos e a aplicação faseada, coordenada e metódica dos diversos níveis de intervenção operacional".

A 14 de março, no seminário "desafios da segurança em Portugal", organizado pela direção nacional da PSP e pelo Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna, o intendente Luís Elias adiantou que nas 579 manifestações que decorreram em Lisboa, 33 pessoas foram detidas e 127 identificadas por suspeitas da prática de ilícitos criminais.

Das várias manifestações realizadas em 2012, fica para a história o protesto de 15 de setembro, que juntou centenas de milhares de pessoas nas ruas de várias cidades portuguesas, e a carga policial em dia de greve geral, a 14 de novembro, em frente ao Parlamento.