Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Dietas com poucos hidratos de carbono aumentam risco de cancro no cólon e outras doenças

Ricardo Polonio Photography

Assim garante a Organização Mundial da Saúde, num estudo onde aconselha o consumo de pasta e cereais integrais a níveis consideravelmente superiores aos atuais

Luís M. Faria

Jornalista

Uma dieta rica em fibra — o que significa normalmente rica em cereais integrais — ajuda bastante na prevenção de doenças que matam um grande número de pessoas em todo o mundo. É a conclusão agora anunciada pela Organização Mundial da Saúde num relatório publicado na Lancet, uma das mais importantes revistas médicas em todo o mundo.

Mantendo as recomendações habituais contra o sal e o açúcar e a favor da fruta e os legumes, o relatório diz que 25 a 29 gramas de fibra diárias (as pessoas tendem a comer menos de 20) reduzem em percentagens que vão dos 15 aos 30 por cento a mortalidade associada a certas doenças muito comuns. O cancro no cólon é uma delas, mas há outras.

Segundo um especialista neozelandês, Jim Mann, explicou ao diário britânico "The Guardian" referindo-se ao relatório, "aqui temos provas muito fortes de que uma dieta rica em fibra, que para a maioria das pessoas tenderá a ser alta em carbohidratos, tem um efeito protetor enorme num vasto leque de doenças, incluindo a diabetes, doenças cardiovasculares e cancro, ou seja, há benefícios numa dieta alta em hidratos de carbono".

Mann acrescentou que "os alimentos que exigem mastigar e que mantém boa parte da sua estrutura no intestino aumenta a saciedade e ajudam a controlar o peso". Ou seja, ajudam a produzir efeitos frequentemente associados às dietas com baixos níveis de hidratos de carbono.