Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Enfermeiros admitem suspender greve se Governo marcar nova reunião

PAULO NOVAIS/LUSA

Sindicatos ponderam suspender greve nos blocos cirúrgicos caso seja confirmada a reunião com os ministérios da Saúde e das Finanças de forma poder ser alcançado um compromisso

Os sindicatos de enfermeiros mantêm a "greve cirúrgica" com início previsto para segunda-feira, mas admitem suspendê-la se o Governo confirmar antes do arranque da paralisação uma nova reunião negocial a 17 de janeiro.

"Neste momento, nós comprometemo-nos a suspender a greve caso nos seja confirmada a reunião de dia 17 com os dois ministérios [Saúde e Finanças] e com esta mesa negocial para tentarmos de facto chegarmos a um compromisso", disse à Lusa Lúcia Leite, dirigente da Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE).

O Governo reuniu-se esta sexta-feira com os sindicatos de enfermeiros para nova ronda negocial relativa à carreira de enfermagem, que resultou em algumas cedências aos profissionais - como a criação da categoria de enfermeiro especialista e o descongelamento das progressões na carreira - mas não em todas as reivindicações sindicais, que exigem também aumentos salariais e a antecipação da idade da reforma.

A greve está marcada até 28 de fevereiro nos blocos cirúrgicos de sete centros hospitalares.