Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

DGS pede responsabilidade à população com as idas aos hospitais por causa da gripe

Karoly Arvai

Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, diz ao Expresso que os recursos hospitalares para responder ao pico da gripe "são suficientes" e só deixam de o ser quando os doentes de dirigem às urgências para o tratamento de casos que podem ser resolvidos em casa. E deixa conselhos aos portugueses

“O pico da gripe vai chegar a Portugal ainda durante o mês de janeiro e o início da atividade epidémica do vírus começa já na próxima semana”, diz ao Expresso a Graça Freitas, diretora-geral da Saúde.

Quanto à falta de recursos nos hospitais e centros de saúde para responder à potencial epidemia, Graça Freitas diz que estes só vão esgotar-se “se as pessoas se dirigirem todas para as urgências” e que, de outra forma, tudo “deverá correr como previsto”. O ano passado, segundo a responsável, a “época da gripe decorreu sem grandes problemas” precisamente porque as pessoas se dividiram pelas várias opções de tratamento.

“A capacidade de resposta não depende apenas do hospital. Se a utilização do serviços por parte dos doentes não for responsável, os hospitais aí podem não ter capacidade”, sublinha. “Um cidadão com sintomas de gripe tem em primeiro lugar que ligar para a Linha Saúde 24, onde é feita uma triagem e onde são dados conselhos para o tratamento. Além disso, os profissionais da Linha de Saúde voltam a ligar às pessoas para entender a progressão dos sintomas”, garante Graça Freitas.

A intensidade da epidemia dependerá do vírus dominante. Graça Freitas fala em dois vírus que circulam em Portugal ou na Europa: o HN1 e o HN3, sendo este último próprio de "épocas gripais mais intensas e graves"

Os centros de saúde, para onde se devem dirigir as pessoas com sintomas mais agudos mas não graves, “já começaram a aumentar horários e equipas”, acrescentou Graça Freitas. Ir às urgências deve ser o último de todos os recursos, até porque, avisa a diretora-geral, “há outros vírus a circular nas urgências que podem afetar quem esteja já com gripe”.

O número da Linha de Saúde é o 808 24 24 24.