Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Corpos das vítimas de queda de helicóptero do INEM já foram retirados

JOSÉ COELHO/ LUSA

Os corpos das quatro vítimas da queda de um helicóptero do INEM em Valongo "já foram recolhidos" e encaminhados para o Instituto de Medicina Legal

Os corpos das quatro vítimas da queda de um helicóptero do INEM em Valongo "já foram recolhidos" e encaminhados para o Instituto de Medicina Legal (IML), disse à Lusa fonte da Proteção Civil. Em declarações à Lusa, Marco Martins, presidente da Comissão Distrital do Porto da Proteção Civil disse tratar-se de uma informação "confirmada".


"Já foram recolhidos os quatro corpos e já foram conduzidos ao IML", observou, referindo-se às vítimas da queda de um helicóptero do INEM, ao final da tarde de sábado, no concelho de Valongo, distrito do Porto, que causou a morte aos quatro ocupantes. A bordo do aparelho, que estava ao serviço do INEM, seguiam dois pilotos e uma equipa médica, composta por médico e enfermeira.


A viatura regressava à sua base, em Macedo de Cavaleiros, Bragança, após ter realizado uma missão de emergência médica de transporte de uma doente grave para o Hospital de Santo António, no Porto. Segundo o INEM avançou no sábado, a aeronave estava desaparecida desde as 18h30. A Proteção Civil distrital recebeu o alerta para o acidente e desencadeou os meios de socorro para o local pelas 20h15.

A aeronave em causa é uma Agusta A109S, operada pela empresa Babcock. Este é o acidente aéreo mais grave ocorrido este ano em Portugal, elevando para seis o número de vítimas mortais em acidentes com aeronaves desde janeiro.