Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Fogo em Cascais. Proteção Civil faz queixa ao Ministério Público

Eduardo Cabrita diz que houve “grave risco” pela falta de informação prestado pelos bombeiros à Proteção Civil no caso do incêndio de um prédio que fez uma vítima mortal

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

O ministro da Administração Interna concluiu que a ausência de comunicação dos bombeiros voluntários de Carcavelos ao Comando Distrital de Operações de Socorro de Lisboa no incêndio habitacional em São Domingos de Rana (Cascais) e que causou uma vítima mortal foi Uma “violação dos deveres de zelo” no âmbito do regime Jurídico dos Corpos de Bombeiros.

Com base nessa informação, Eduardo Cabrita determinou “a instauração de um inquérito, por parte da ANPC, para apuramento de eventuais responsabilidades disciplinares” bem como a “participação ao Ministério Público para apuramento de eventuais responsabilidades criminais.

Esta manhã, um incêndio num prédio em São Domingos de Rana (Cascais) matou uma mulher e intoxicou várias pessoas, entre elas quatro crianças.

O fogo deflagrou por volta das 9h e nessa altura o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa foi alertado através de uma chamada do 112. Os bombeiros voluntários de Carcavelos foram de imediato acionados e chegaram ao local pouco depois.

Só que, de acordo com fontes contactadas, o CDOS de Lisboa não terá recebido qualquer informação sobre o que se passava no terreno por parte dos voluntários. "Algo que seria essencial para poder acionar mais meios para o local, caso fosse necessário, e monitorizar o incêndio em tempo real", conta.

Terá sido apenas uma hora mais tarde que o CDOS de Lisboa recebeu dados do que acontecia em São Domingos de Rana, mas pela via do serviço municipal de proteção civil.

Recorde-se que desde o último fim de semana que a Associação Nacional de Proteção Civil não recebe informações por parte dos bombeiros voluntários, tal como anunciou Jaime Marta Soares, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses. O caso deu origem a um braço de ferro com o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

O MAI anunciou já uma reunião entre Eduardo Cabrita e Marta Soares para o próximo dia 18 às 15h, no ministério. Em causa, a discussão dos diplomas da proteção civil aprovados em conselho de ministros.