Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Mau tempo. Depressão Beatriz já começou a fazer estragos no Norte

Instituto Português do Mar e da Atmosfera emitiu nesta terça-feira um comunicado devido aos efeitos da depressão Beatriz, que está centrada a noroeste das ilhas Britânicas, afetando Portugal, em especial as regiões Norte e Centro

Várias dezenas de ocorrências foram nesta terça-feira registadas nos distritos do Porto, Viana do Castelo, Braga e Viseu devido à chuva intensa e vento forte, mas sem registo de feridos, disseram à Lusa fontes da Proteção Civil. Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) do Porto, na noite de hoje foram registadas, até cerca das 23h00, mais de 30 ocorrências relacionadas com o mau tempo.

"Choveu com bastante intensidade e estava vento forte. As vias públicas têm muita água e recebemos alertas de várias ocorrências relacionadas com inundações ou queda de árvores", disse a fonte do CDOS, assinalando que não existem feridos ou danos avultados a registar. A mesma fonte acrescentou, pouco depois das 23h00, que os meios continuavam na rua a responder a alertas em diversos locais do distrito do Porto.

Também em Viana do Castelo o mau tempo causou inundações e queda de árvores, com as organizações de socorro a responderem a dezenas de alertas. "A chuva e o vento causaram inundações nas vias públicas e garagens, quedas de árvores e estruturas. Temos registo de cerca de meia centena de ocorrências, com algumas ainda em aberto, mas sem feridos ou desalojados", adiantou fonte do CDOS de Viana do Castelo, cerca das 23h15. Segundo a página na internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil, existem também informações de várias ocorrências nos distritos de Braga e Viseu devido ao mau tempo.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera emitiu nesta terça-feira um comunicado devido aos efeitos da depressão Beatriz, que está centrada a noroeste das ilhas Britânicas, afetando Portugal, em especial as regiões Norte e Centro, para a noite de hoje que se prolonga até quarta-feira. "Para estas regiões, a passagem desta superfície frontal fria irá originar chuva persistente. O vento será moderado a forte no litoral, com rajadas até 80 quilómetros por hora, e forte nas terras altas, com rajadas que serão da ordem de 100 quilómetros por hora", explicou o IPMA em comunicado.