Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Bilhetes para o Castelo de São Jorge e Padrão dos Descobrimentos vão ficar mais caros

Mecanismo de reclamação visa gerir tensões entre turistas e locais

A ideia é aproximar os valores da media europeia e ajustar os preços dos bilhetes de entrada no Castelo de São Jorge (de 8,5 euros para 10 euros) e no Padrão dos Descobrimentos (de 5 euros para 6 euros)

As entradas no Castelo de São Jorge e no Padrão dos Descobrimentos, em Lisboa, vão ficar mais caras, aponta uma versão preliminar dos instrumentos de gestão provisional da EGEAC, empresa que gere estes equipamentos.

“Tendo efetuado uma análise comparativa (em Portugal e no estrangeiro) aos valores de ingressos em monumentos de importância similar e concluído que os valores praticados pela EGEAC são inferiores à média, em 2019 pretendemos também ajustar os preços dos bilhetes de entrada no Castelo de São Jorge (de 8,5 euros para 10 euros) e no Padrão dos Descobrimentos (de 5 euros para 6 euros)”, refere o documento, ao qual a agência Lusa teve acesso esta terça-feira.

De acordo com informação da Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural - EGEAC, o aumento no preço dos bilhetes vai ser sentido “a partir de janeiro de 2019”.

A EGEAC ressalva que “as tabelas de descontos introduzidas em 2018 preveem diversos mecanismos que acautelam a possibilidade de plena fruição desses monumentos por parte dos residentes em Lisboa, os jovens e os seniores”.

Na nota enviada à agência Lusa, a empresa refere que os residentes em Portugal podem visitar monumentos e museus gratuitamente aos domingos e feriados, até às 14h00, e que no âmbito do acordo de governação do município de Lisboa, celebrado entre PS e BE após as últimas eleições autárquicas, “os residentes em Lisboa menores de 18 anos e maiores de 65 anos estão isentos, assim como desempregados”.

Quanto a descontos mais generalizados, em que se incluem os visitantes que não habitam na capital, é apontado que “as crianças até aos 12 anos estão isentas em todos os monumentos e museus da EGEAC, os jovens até aos 18 anos terão 50% de desconto, os maiores de 65 anos, assim como as pessoas com necessidades especiais, 15% de desconto”.

A empresa adiantou também à Lusa que não estão previstas alterações ao tarifário de outros equipamentos.

Ainda ao nível da bilhética, a empresa compromete-se a “continuar a desenvolver a venda integrada ‘online’ de bilhetes iniciada em 2018, que potencia não apenas receita, como a divulgação dos espaços e a gestão dos fluxos de público”.

Os instrumentos, que foram apreciados pela Câmara de Lisboa e serão agora discutidos em Assembleia Municipal, estimam que o Castelo de São Jorge receba cerca de dois milhões e 40 mil visitantes este ano, número que deverá crescer para mais 50 mil em 2019.

Já o Padrão dos Descobrimentos, em Belém, deverá ser visitado por mais de 295 mil pessoas este ano e 359 mil em 2019.

No documento, a EGEAC estima que no próximo ano este monumento “apresente um balanço positivo no que respeita a resultados, graças ao cenário de crescimento de públicos, ao trabalho interno no sentido da sua participação, maior envolvimento e fidelização - com especial atenção ao público nacional - e a uma programação dinâmica, suportada pelas estratégias de comunicação que concorrem para uma maior notoriedade, afirmação do projeto e identidade”.

“As estratégias desenhadas para 2019 procuram estimular e reforçar a presença dos segmentos infantil, juvenil e sénior, prevendo também formas para cativar estes públicos no período de verão”, acrescenta o texto.

A empresa municipal traça, também, como objetivo incrementar “a organização de visitas guiadas para público cego e público surdo”, bem como disponibilizar “visitas guiadas em inglês, tanto no que respeita à visita guiada ao monumento como na visita às exposições patentes”.