Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Missão para encontrar uma “Terra” fora do sistema solar entra em fase industrial

A medida foi anunciada Agência Espacial Europeia durante o Congresso Internacional de Astronáutica que decorre em Bremen, no norte da Alemanha.

picture alliance/Getty Images

Foi assinado um contrato para construção de um satélite por um consórcio liderado pela empresa alemã OHB Systems. A missão Platão inicia-se em 2026 e tem como propósito encontrar e estudar outros sistemas planetários

A missão Platão, da Agência Espacial Europeia, destinada a encontrar e estudar planetas fora do sistema solar, entrou na fase industrial, com a assinatura de um contrato para construção de um satélite, por um consórcio liderado pela empresa alemã OHB Systems.

A medida foi anunciada esta quinta-feira pela Agência Espacial Europeia (ESA) durante o Congresso Internacional de Astronáutica em Bremen (norte da Alemanha), onde foi firmado o contrato, que inclui o lançamento do satélite e a manutenção, tanto na fase de testes como posteriormente.

A missão Platão inicia-se em 2026 e tem como propósito encontrar e estudar outros sistemas planetários, com especial ênfase para planetas rochosos próximos de estrelas similares ao sol e a uma distância que poderá permitir a existência de água.

Segundo o diretor-geral da ESA, Johan-Dietricj Worner, uma das "mais emocionantes questões da astronomia" é saber se no universo existe "uma segunda Terra".

"Com o nosso satélite Platão iremos concentrar-nos em planetas similares à Terra, cuja órbita está na zona 'habitável' em torno de estrelas similares ao nosso Sol. Será o maior passo destinado a encontrar uma segunda Terra", disse.

Na construção do satélite, além da OHB, participarão a Thales Alenia Space, de França e do Reino Unido, e a suíça RUAG.

O Centro Aeroespacial Alemão (DLR) fornecerá, em cooperação com outros centros de investigação europeus, os instrumentos científicos, entre os quais um sistema de 26 câmaras e unidades eletrónicas.

A missão não só procurará exoplanetas desconhecidos, como investigará as propriedades das estrelas em torno das quais giram.

Isto, segundo a ESA, ajudará os cientistas a entender a arquitetura dos sistemas dos exoplanetas e a determinar onde estão os mundos mais provavelmente com condições de suportar vida.

A missão continuará o trabalho da Cheops, dedicada à observação de exoplanetas, que no próximo ano iniciará uma caracterização dos que já se conhecem.

A missão Platão será seguida pela missão Ariel, cujo lançamento está planeado para 2028 para estudar em detalhe a atmosfera de um grande número de exoplanetas.