Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Trotinetes elétricas vão ser alternativa de transporte em Lisboa (não estamos a brincar)

FRANCOIS GUILLOT/Getty

A trotinete é desbloqueada através de um código com a aplicação e, depois da viagem, o utilizar terá de tirar uma fotografia ao local onde a deixa 'estacionada' de forma a poder terminar o percurso

A empresa norte-americana Lime vai colocar na cidade de Lisboa cerca de 400 trotinetes elétricas partilhadas, com o objetivo de fornecer um meio de transporte alternativo e de melhorar a mobilidade dos cidadãos. À Lusa, Marco Pau, diretor-geral da Lime Portugal, explicou que Lisboa é a quarta capital europeia, depois de Paris, Madrid e Berlim, onde a empresa lança um sistema de trotinetes elétricas partilhadas, embora ainda sem data definida.

Para usar uma trotinete basta descarregar para o telemóvel a aplicação Lime. Depois, é saber onde está a trotinete para a poder desbloquear. Vão existir 90 'spots' (pontos) espalhados pela cidade, mas também se podem 'apanhar' aquelas que não estão em nenhuma 'estação', embora só possam permanecer numa área geográfica definida.

A trotinete é desbloqueada através de um código com a aplicação e, depois da viagem, o utilizar terá de tirar uma fotografia ao local onde a deixa 'estacionada' de forma a poder terminar o percurso. O custo da viagem será de um euro para desbloquear a trotinete, ao qual se somam 15 cêntimos por minuto de utilização.

As zonas históricas de Lisboa são interditas ao 'estacionamento' das trotinetes, fora isso, podem ser largadas pela cidade e esse facto não melindra Marco Pau. "Temos já a experiência das outras cidades europeias e norte-americanas. Além disso, nós sabemos sempre onde estas se encontram, estão sempre monitorizadas, e à noite são recolhidas para serem recarregadas", explicou à Lusa, adiantando que entre as 21h00 e as 09h00 do dia seguinte não haverá trotinetes na rua.

A bateria de uma trotinete tem autonomia para 40 quilómetros e os utilizadores não vão poder exceder os 25 quilómetros/hora. Ainda assim será uma forma "de se moverem rapidamente em pequenas distâncias", referiu Marco Pau. O responsável adiantou à Lusa que a instalação das trotinetes em Lisboa, embora ainda não tenha data de lançamento, irá acontecer "mais de um mês depois de ter encetado as negociações com a Câmara Municipal de Lisboa" e de perceberem "o que podia ser feito pela mobilidade na cidade".

"Decidimos entrar no mercado em Portugal, primeiro em Lisboa. Gostamos de fazer as coisas de um modo sustentável, não queremos sobrecarregar a cidade com demasiadas trotinetes", explicou. De acordo com Marco Pau, na altura do lançamento das trotinetes vai surgir, igualmente, o programa 'juicer', com cerca de 100 pessoas responsáveis por recolher um determinado número de trotinetes, carregá-las e colocá-las de novo na rua, a troco de um pagamento por parte da empresa.

Segundo Marco Pau, a Lime pretende também, depois do lançamento em Lisboa, encetar contactos com autarquias de outras cidades, nomeadamente Porto, Braga, Aveiro e Sintra. As trotinetes da Lime vão estar presentes este sábado, entre as 14h00 e as 19h00, na Avenida da Liberdade, num evento promovido pela Câmara Municipal de Lisboa, para uma primeira apresentação aos lisboetas, que vão ter a oportunidade de experimentarem, pela primeira vez, este meio de transporte alternativo.