Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Trabalhadores de empresas do Grupo EVA suspendem greve marcada para sexta-feira

Trabalhadores das empresas de transporte coletivo de passageiros EVA, Próximo, Frota Azul e Translagos suspenderam a greve por terem chegado a um princípio de acordo com as administrações para aumentos salariais

Os trabalhadores das empresas de transporte coletivo de passageiros EVA, Próximo, Frota Azul e Translagos suspenderam a greve prevista para sexta-feira por terem chegado a um princípio de acordo com as administrações para aumentos salariais, foi hoje anunciado.

O Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal (STRUP) revelou num comunicado que as administrações destas empresas do Grupo EVA, pertencentes por sua vez ao Grupo Barraqueiro, aceitaram os valores salariais propostos pelas estruturas sindicais e aos quais ainda não tinham respondido, pelo que a greve de sexta-feira fica sem efeito.

"Face ao evoluir do processo e aos valores tornados públicos, entendemos que não foram atingidos os objetivos totais da luta, mas foi uma boa vitória tendo em conta o historial das empresas. Assim, com os trabalhadores, foi decidida a suspensão da luta da próxima sexta-feira", lê-se no comunicado do STRUP e da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS).

A mesma fonte sublinha que "a greve e a deslocação a Lisboa prevista para a próxima sexta-feira fica suspensa", numa referência ao protesto no qual os trabalhadores das empresas do Grupo EVA tinham previsto participar na capital portuguesa, à porta do Grupo Barraqueiro.
As estruturas sindicais referem ainda que vão agora aguardar por "uma rápida resposta das administrações" das empresas para "a assinatura do acordo" que permita formalizar os aumentos salariais.

"Com a luta desenvolvida, os trabalhadores da Eva, Frota Azul, Próximo e Translagos conquistaram novo aumento do salário, o que demonstra que vale a pena lutar e sem luta nada se alcança", consideram o STRUP e a FECTRANS.

Os sindicatos adiantaram que os aumentos salariais previstos para a EVA fazem o salário base passar, em janeiro de 2019, dos atuais 662,80 euros para 690, o valor das refeições para funcionários deslocados dos atuais 7,50 euros para os 9,50, o aumento do subsídio de refeição de 6,38 euros para 6,50 e o valor das diuturnidades sobem de 13,49 para 14 euros.

Na Próximo, por exemplo, o salário base sobe de 680 para 700 euros em 01 de março de 2020, enquanto a partir de 01 de março de 2021 o aumento do salário base tem em consideração o valor da inflação mais 1%, exemplificam as formações sindicais.

Na empresa Translagos, os sindicatos destacam o aumento do valor do dia de folga trabalhado de 43,20 para 75 euros com efeitos retroativos desde 01 de agosto de 2018, assim como o aumento do salário base dos atuais 648,13 euros para 680, a partir de 01 de março de 2019.

A Frota Azul vai também oferecer aos trabalhadores, segundo os sindicatos, um aumento do dia de folga trabalhado de 43 para 75 euros, desde 01 de agosto último, a criação de um subsídio de refeição para trabalhador deslocado - até aqui inexistente - de 9,50 ou a subida do salário base de 648,13 para 690 euros a partir de março de 2019.