Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Fim de semana de furacões: 100 mortos na Ásia, 14 nos EUA, Açores estão a salvo

Os americanos preocupam-se agora com as inundações, enquanto os chineses continuam em alerta

As tempestades tropicais Florence e Helene e o Tufão Manghkut acalmaram durante a noite, mas deixam um rasto de mortes e destruição, a que as catástrofes naturais já nos habituaram.

Nos EUA, onde tempestade tropical Florence, que começou por ser um furacão, se move entre os estados da Carolina do Norte e a Carolina do Sul, o números de mortos subiu para 14. Os ventos estão a ventos de 80 km/h e a descarga de chuva está 40 cm acima do normal. Prevê-se que a situação se mantenha durante o resto de domingo, o que agrava o risco de inundações.

O Serviço Nacional de Meteorologia elevou o alerta do perigo de inundações. As autoridades alertam que drenar as inundações provocadas pela Florence pode levar semanas ou meses. Wilmington, uma cidade da Carolina do Norte, é a zona de maior perigo.

A situação está mais dramática na China, onde o Tufão Mangkhut provou 59 mortes nas Filipinas e 49 na China. Meio milhão de chineses foram evacuados de sete cidades, as escolas estão fechadas até terça-feira, o comboio de alta velocidade foi suspenso. No entanto, o tufão perdeu força quando chegou ao território chinês.

Em Macau, apesar da angústia vivida durante algumas horas, as autoridades baixaram entretanto de 10 para 8 o alerta de tempestade tropical, enquanto o tufão Mangkhut se vai afastando gradualmente do território, e preveem a redução da intensidade do vento.

Mais tranquila foi a passagem da tempestade tropical Helene pelos Açores. A Proteção Civil dos Açores registou 10 ocorrências, na noite de sábado e na madrugada de hoje mas provocar vítimas mortais ou danos materiais. Helene segue agora em direção às ilhas britânicas, mas quando lá chegar já não deverá ser classificada como tempestade tropical. Mesmo assim, Helene leva chuva, vento e temperaturas mais quentes para as ilhas britânicas.