Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

“Os mafiosos não são cristãos”, adverte o Papa

O Papa Francisco durante a evocação do sacerdote Giuseppe Puglisi, assassinado pela máfia há 25 anos

VATICAN MEDIA / Reuters

Na homilia de memória ao sacerdote assassinado pela máfia há 25 anos, Giuseppe Puglisi, celebrada este sábado na Sicília, Francisco lembrou que não se pode acreditar em Deus e ser mafioso, apelando a quem o é para deixar de pensar apenas em si próprio e no seu dinheiro

O Papa Francisco elogiou, este sábado, na Sicília, o sacrifício do sacerdote Giuseppe Puglisi, assassinado pela máfia há 25 anos, e disse aos mafiosos que não são cristãos, durante a missa multitudinária celebrada em Palermo em memória do prelado. “Não se pode acreditar em Deus e ser mafioso, quem é mafioso não vive como cristão, porque blasfema com a vida e o nome de Deus", afirmou o Papa durante a homilia, perante dezenas de milhares de fiéis reunidos no grande espaço verde do Foro Itálico.

“Assim, digo aos mafiosos: mudem, deixem de pensar só em vocês próprios e no vosso dinheiro, convertei-vos ao verdadeiro Deus de Jesus Cristo. De outro modo, a vossa própria vida estará perdida e será a pior das derrotas”, adiantou o Francisco.

O líder dos católicos recordou que o padre Puglisi morreu no dia em que fazia 56 anos e que “coroou a sua vitória com um sorriso”, numa alusão ao sorriso com que o sacerdote, conhecido por tentar tirar os jovens do crime organizado, recebeu o seu assassino quando o viu chegar lhe disse que “o esperava".

“Aquele sorriso não deixa dormir de noite o seu assassino, que diz: havia uma espécie de luz naquele sorriso”, referiu Francisco. "O padre Puglisi sabia que se arriscava, mas sabia sobretudo que o verdadeiro perigo na vida é não arriscar e viver comodamente", adiantou o sumo pontífice, instando os fiéis a não se deixarem levar pelo ódio nem pelo rancor. “São necessários homens de amor, homens de honra, homens de serviço, não de opressão”, acrescentou.

“Se a litania mafiosa é 'tu não sabes quem sou eu', a cristã é 'eu preciso de ti'" e se a ameaça mafiosa é 'vais pagar-mas, a oração cristã é “senhor ajuda-me a amar”, continuou Francisco.