Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Câmara de Lisboa quer que crianças cativem pais para o transporte público

MIGUEL A. LOPES/Getty

Cartão será distribuído pelos alunos do primeiro ciclo das escolas públicas do concelho e das escolas privadas que adiram à iniciativa, mas a Câmara de Lisboa pretende estender a medida às escolas do 2.º e 3.º ciclos já no próximo ano letivo

A Câmara de Lisboa apresentou nesta sexta-feira um cartão que permite às crianças usarem um único documento para circular nos transportes e se identificarem na escola, com o objetivo que também a família passe a circular mais de transportes. O cartão Navegante Escola foi apresentado na Escola Básica dos Lóios, em Marvila, numa cerimónia em que foram entregues os cartões aos alunos deste estabelecimento escolar.

Para já, o cartão será distribuído pelos alunos do primeiro ciclo das escolas públicas do concelho e das escolas privadas que adiram à iniciativa, mas a Câmara de Lisboa pretende estender a medida às escolas do 2.º e 3.º ciclos já no próximo ano letivo.

"A novidade é que este cartão integra o transporte gratuito, até aos 12 anos, com o cartão da escola e com acesso aos equipamentos de cultura da cidade de Lisboa" de forma gratuita, disse o presidente da Câmara, Fernando Medina (PS), em declarações aos jornalistas, afirmando várias vezes que circular nos transportes públicos de Lisboa já é gratuito para crianças até aos 12 anos.

O presidente sinalizou que os alunos podem também ser "portadores da mensagem de que há melhores transportes públicos, há mais transportes públicos, e cada vez mais serão uma alternativa ao automóvel".

Para já, são mais de 14.200 os alunos que vão receber o cartão, mas o número poderá aumentar. "A Câmara de Lisboa pretende chegar aos 25 mil passes distribuídos, e por isso não temos a mais pequena dúvida que vamos ter, não só mais pessoas a usar os transportes hoje, como vamos criar um hábito de utilização de transportes coletivos em todas estas crianças, que vão deixar de ser crianças e que certamente vão continuar a ser clientes das empresas de transporte coletivo da cidade de Lisboa", afirmou o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, também presente na cerimónia.

Apontando que este é "um tempo em que os meninos educam os pais", o governante considerou ser "fundamental que estes meninos eduquem os pais no sentido de cada vez mais utilizarem os transportes coletivos em Lisboa".

Na opinião do ministro, os transportes de Lisboa "obviamente terão ainda que melhorar, mas já neste último ano, ano e meio, fizeram um percurso muito positivo do ponto de vista da oferta". "Só vendíamos dois mil passes aos meninos com menos de 12 anos, no ano passado já conseguimos que 12 mil dessas meninas e meninos tivessem esses passes gratuitos", referiu, acrescentando que "o uso de transportes em Lisboa o ano passado, só nas empresas públicas, aumentou em mais de 5%".

Matos Fernandes salientou também que a gratuitidade da circulação para as crianças "do ponto de vista comercial significa também que não há uma perda de receita porque estes meninos não andam sozinhos nos transportes coletivos e, portanto, alguém tem de ir com eles, e há de facto um aumento muito grande".

Questionado sobre a possibilidade desta medida ser alargada a outros pontos do país, o ministro da tutela afirmou ainda não ter recebido pedidos, mas considerou que esta iniciativa "pode facilmente ser ensaiada também, por exemplo, na Área Metropolitana do Porto, ou mesmo na cidade do Porto, ou noutras que queiram partilhar esta vontade". Porém, ressalvou, "é evidente que onde não houver transportes coletivos organizados pelas próprias autarquias não se pode ensaiar uma medida como esta".