Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Espinho avança com obras para concluir rede de abastecimento de água

O pátio da Rua 28, em Espinho

Foto Nelson Marques

A obra arrancará esta quinta-feira e vai abranger as localidades de Anta, Guetim, Silvalde e Paramos, resultando da deteção de "pequenas áreas que necessitam de obras de saneamento básico" na sequência das "novas expansões urbanas" verificadas no território

A Câmara de Espinho assina na terça-feira o auto de consignação da empreitada que lhe permitirá concluir a rede de abastecimento de água e drenagem de águas residuais do concelho, e aumentar o número de ramais domiciliários locais.

Segundo revelou fonte oficial da autarquia esta segunda-feira, a obra arrancará esta quinta-feira e vai abranger as localidades de Anta, Guetim, Silvalde e Paramos, resultando da deteção de "pequenas áreas que necessitam de obras de saneamento básico" na sequência das "novas expansões urbanas" verificadas no território.

"A empreitada visa dotar todos aglomerados do concelho com infraestruturas de saneamento básico indispensáveis à melhor qualidade de vida dos seus habitantes e contempla a execução de condutas de abastecimento de água, de coletores e de estações elevatórias de drenagem de águas residuais domésticas em algumas ruas, assim como a execução de 800 ramais domiciliários", revelou a Câmara.

"O intuito desta obra pública é fechar os sistemas em baixa, com vista a otimizar a utilização da capacidade instalada, o que vai permitir a extensão do serviço a populações ainda não servidas [pela rede] no concelho", acrescentou.

Com prazo de execução de um ano, a empreitada foi adjudicada à empresa Henriques, Fernandes e Neto S.A. e vai custar à autarquia um pouco mais de 1,3 milhões de euros, sendo comparticipada em 85% por fundos comunitários do POSEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

Os cidadãos com residência em Espinho que pretendam ver assegurado o ramal de ligação entre a sua habitação e a rede pública deverão solicitá-lo o quanto antes, uma vez que, como realça a autarquia, "os munícipes estarão isentos do pagamento dos ramais domiciliários que sejam executados no âmbito desta obra".