Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Quatro acusados na Operação Marquês entregaram hoje o pedido para abertura de instrução

Defesa de Joaquim Barroca, do Grupo Lena, foi a única a cumprir o prazo legal. Os outros arguidos vão ter de pagar multa

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Jornalista de Sociedade

O prazo para entregar o requerimento para abertura de instrução do processo Marquês termina hoje, mas a lei dá mais três dias para fazer o pedido, mediante o pagamento de uma multa. Quatro acusados no processo entragaram os pedidos: Henrique Granadeiro e Zeinal, ex-gestores do Grupo PT, Bárbara Vara, filha de Armando Vara, e Joaquim Barroca, administrador do Grupo Lena.

Os advogados de Sofia Fava, ex-mulher de Sócrates; Carlos Santos Silva, amigo de infância do ex-primeiro-ministro e tido como o seu testa de ferro; Diogo Gaspar Ferreira, do grupo Vale de Lobo e José Bernardo Pinto de Sousa, primo de Sócrates, vão entregar o requerimento nos próximos dias.

A defesa de Ricardo Salgado não revela se vai ou não apresentar o requerimento e Pedro Delille, advogado de José Sócrates, não respondeu aos contactos do Expresso.

A instrução de um processo é uma espécie de pré-julgamento que serve para um juiz avaliar se os indícios recolhidos pelo Ministério Público são suficientes para levar os acusados a julgamento. A instrução da Operação Marquês será sorteada entre Carlos Alexandre e Ivo Rosa.