Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Cenário “muito difícil” no acidente que matou crianças de 10 e 13 anos em Mira

O acidente rodoviário que vitimou duas crianças, em Mira, decorreu de uma colisão frontal entre duas viaturas “numa zona entre duas rotundas, com muito bom piso, uma reta com muita visibilidade. Autarquia mostra-se chocada

O presidente da Câmara Municipal de Mira, Raul Almeida, descreveu este domingo um cenário "muito difícil" no acidente rodoviário que matou duas crianças de 10 e 13 anos e fez oito feridos, destacando a "pronta intervenção" do socorro às vítimas.

"Foi um choque, um dia de pesar. Um acidente com um cenário muito difícil de lidar, porque envolveu crianças", disse à Lusa Raul Almeida, aludindo ao acidente com três viaturas que matou duas crianças - uma menina de 13 anos e um rapaz de 10 anos, segundo o autarca - e provocou oito feridos, um em estado grave, todos adultos.

O autarca expressou os sentimentos aos familiares das vítimas mortais, residentes na zona de Tondela, distrito de Viseu, e agradeceu a "pronta intervenção" de todas as entidades envolvidas nas operações de socorro, cerca de 50 operacionais dos bombeiros de Mira, Cantanhede e Vagos, Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e GNR.

Raul Almeida afirmou, por outro lado, que a via onde ocorreu o acidente - uma variante à Estrada Nacional 234, de ligação entre Mira e a Praia de Mira, no distrito de Coimbra - "é uma estrada com dez, onze anos, que não tem registo de acidentes graves".

Segundo fonte da autarquia, o acidente decorreu de uma colisão frontal entre duas viaturas "numa zona entre duas rotundas, com muito bom piso, uma reta com muita visibilidade". A terceira viatura envolvida despistou-se e capotou fora da estrada.

A viatura onde seguiam as vítimas mortais pertencia a uma família residente na zona de Tondela e os ocupantes do outro automóvel envolvido na colisão frontal são oriundos de Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, indicou.

A estrada onde se deu o acidente esteve cortada ao trânsito mais de três horas, desde as 10:20 de hoje, hora do alerta, mas a circulação foi entretanto reaberta, informou a GNR.