Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Hora de verão: sim ou não? A Comissão Europeia quer saber a sua opinião

Até 16 de agosto, os europeus são chamados a opinar sobre a mudança de hora que fazem duas vezes por ano. O horário de verão foi criado há mais de um século para aproveitar a luz natural e poupar recursos, mas pode ter os dias contados. O relógio está a contar

Carlos Esteves

Carlos Esteves

Infografia

Infografico

GETTY IMAGES

Demorou algum tempo até que a ideia de promover um horário diferente para o verão, aproveitando a luz do dia para poupar, já não velas, mas energia elétrica, fosse posta em prática. A meio da I Guerra Mundial, em 1916, a Alemanha encontrou nela uma forma de “minimizar o uso de iluminação artificial, a fim de economizar combustível para o esforço da guerra”, explica o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL). Seguiram-se mais de 100 anos de avanços, recuos e algumas críticas.

A Comissão Europeia (CE) quer agora saber o que pensam os cidadãos e, para isso, lançou uma consulta pública, que irá decorrer até 16 de agosto e à qual pode responder AQUI. Disponível em várias línguas, surge na sequência de pedidos de europeus e de alguns Estados-membros, em particular a Finlândia, que são contra o chamado DST (Daylight Saving Time, ou horário de verão) por, dizem, causar distúrbios de sono, reduzir a produtividade e poder originar problemas de saúde a longo prazo.

Para ler o artigo na íntegra, clique AQUI