Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Incêndio em Monchique. Situação é “muito complexa” e vai ser uma “noite dura”

MIGUEL A. LOPES/Lusa

Ventos fortes e aumento da temperatura estão a condicionar as perspetivas de controlo das chamas em Monchique

A situação em Monchique mantém-se "complexa", o incêndio é de "grande dimensão" e as próximas horas vão representar uma "noite dura" no combate às chamas. Esta foi a perspectiva transmitida pelo segundo comandante operacional distrital da Proteção Civil de Faro, Abel Gomes, durante um briefing realizado pouco antes das 20h00, depois de uma tarde em que o aparente controlo do fogo na serra de Monchique foi substituido por um cenário de reativações que são justificadas com a mudança das condições meteorológicas, incluindo ventos mais fortes e com frequentes mudanças de direção, além de um aumento da temperatura. Há 24 máquinas de rastro no terreno a apoiar o combate ao fogo.

A prioridade das autoridades continua a ser a de salvaguardar vidas e, de acordo com a informação prestada pela Proteção Civil, habitações em Fóia, Barragem de Odelouca e Cascalheira já foram evacuadas. Desde o início do incêndio, na sexta-feira passada, já foram assistidas 95 pessoas. Informações prestadas indicam que houve hoje 66 pessoas assistidas, nomeadamente por inalação de fumo hoje e, em relação ao ponto de situação anterior, efetuado ao início da tarde desta segunda-feira, há mais quatro feridos, num total de 29 desde que as chamas começaram a lavrar na região de Monchique.

O porta-voz da Proteção Civil indicou não ter recebido qualquer indicação da GNR sobre pessoas eventualmente desaparecidas e é desconhecido o número de casas que foram atingidas pelo incêndio. Desde sexta-feira passada, a área ardida já equivale a mais de metade daquela que foi destruida em 2003, quando a serra de Monchique foi devastada por um incêndio de grandes dimensões.