Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Frente do fogo de Monchique está a ceder ao combate em Odemira

Na área do concelho de Odemira, segundo as autoridades, foram retiradas desde sábado, por precaução, 31 pessoas de cinco locais

Uma das frentes do incêndio na serra de Monchique, no Algarve, que se propagou ao concelho vizinho de Odemira, Alentejo, está a ceder, neste domingo à tarde, aos meios de combate, disse à agência Lusa o comandante dos bombeiros locais. Segundo Luís Oliveira, comandante dos Bombeiros Voluntários de Odemira, no distrito de Beja, o fogo, na vertente mais a norte, atingiu a serra de Algares, na área do concelho alentejano e contígua à serra de Monchique (Faro), "com mais intensidade" nas redondezas da pequena aldeia de Moitinhas. "O incêndio [na serra de Algares] está a ceder favoravelmente aos meios de combate", afirmou o responsável.

Na área do concelho de Odemira, segundo as autoridades, foram retiradas desde sábado, por precaução, 31 pessoas de cinco sítios (Várzea do Carvalho, Moitinhas, Barreirinhas, Vale das Hastes e Craveiras). Segundo o presidente da Câmara de Odemira, José Alberto Guerreiro, as pessoas deslocadas passaram a noite no centro sociocultural de Saboia.

O apoio às pessoas deslocadas está a ser feito por técnicos da Segurança Social e da Cruz Vermelha Portuguesa de Beja, em termos sanitários e logísticos, segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS). Pelo menos cerca de 30 hectares de mancha florestal já arderam no concelho de Odemira, referiu o autarca.

Das corporações de bombeiros do distrito de Beja, 73 operacionais, com o apoio de 21 veículos, estão envolvidos nas operações de combate às duas frentes do incêndio que deflagrou na sexta-feira na serra de Monchique. O incêndio, que deflagrou na sexta-feira na zona da Perna da Negra, estava, cerca das 16:45 de hoje, a ser combatido por 831 operacionais, com o apoio de 223 viaturas e 12 meios aéreos, segundo a página na internet da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).