Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Quer receber um vídeo com uma celebridade a dirigir-se a si pelo nome? É fácil

Só tem de pagar. O preço varia conforme o estatuto da pessoa em causa. Mas a ideia por trás deste novo serviço parece democrática

Luís M. Faria

Jornalista

É como o selfie, mas ligeiramente mais pessoal - e mais caro. Por uma quantia que pode ir de algumas dezenas de dólares até dois mil ou mais, agora é possível receber mensagens vídeo de celebridades, com o próprio nome. Mensagens como "Tudo bem, João?", "Parabéns pelo teu aniversário", ou coisas mais especiais.

O serviço chama-se Cameo e foi lançado por Nikki Blonsky. uma atriz que adquiriu se tornou conhecida no filme "Hairspray" (2007) e entretanto basicamente desapareceu. Hoje em dia Blonsky capitaneia uma lista de celebridades que na sua maioria, tal como ela própria, já viram melhores dias - mas que se dispõem a fazer um pequeno jeito para ganhar algum dinheiro.

O pequeno jeito é gravar o equivalente audiovisual de um selfie: uma mensagem vídeo dirigida a um cidadão anónimo, e encomendada por ele, ou por alguém próximo. Se a encomenda for aceite (a celebridade em questão pode achar que não é compatível com a sua imagem) o vídeo é entregue no prazo que pode variar entre algumas horas ou uma semana.

Cameo foi ideia de um antigo executivo do LinkedIn que há uns tempos percebeu, conforme ele explica, que "o selfie com uma celebridade é o novo autógrafo". O esquema é simples. Quando uma celebridade aceita figurar na lista da Cameo, estabelece o seu preço - quanto mais famosa ou importante, mas alto ele é - e começa a receber encomendas. A empresa fica com 25 por cento.

Nem todas as celebridades disponíveis serão movidas por dinheiro, como mostram os 5 dólares cobrados por uma que há algum tempo caiu em desgraça por ter feito afirmações racistas. Nalguns casos será simplesmente uma forma simpática de se manterem em contacto com os fãs. Ou, visto noutra perspetiva, de cumprirem as obrigações que a fama implica.