Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Incêndios. Fogo em Monchique está dominado e em trabalhos de rescaldo

Incêndio, cuja alerta tinha sido dado às 16h47, foi dominado cerca de duas horas depois, tendo o dispositivo de combate chegado a envolver 113 operacionais

As equipas de combate ao incêndio que nesta quinta-feira deflagrou numa zona rural de Monchique já dominaram o fogo e estão a fazer trabalhos de rescaldo, disse fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro.

O incêndio, cuja alerta tinha sido dado às 16h47, foi dominado cerca de duas horas depois, tendo o dispositivo de combate chegado a envolver 113 operacionais, 37 veículos e seis meios aéreos, disse a fonte do CDOS à Lusa. "Neste momento, o incêndio está em fase de conclusão e estão a proceder-se a operações de rescaldo", afirmou a mesma fonte, sublinhando que, às 19h30, ainda permaneciam no terreno 31 veículos e 81 operacionais. A previsão é que o dispositivo "vá desmobilizando" à medida que o rescaldo se for consolidando, acrescentou.

O incêndio tinha deflagrado na Portela das Eiras, uma zona rural de Monchique, no distrito de Faro, que é um dos 32 concelhos do Algarve, Alentejo e do interior Norte e Centro do país que estão hoje em risco máximo de incêndio, coincidente com uma onda de calor atinge o território nacional.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) referiu que, além destes concelhos em risco máximo, estão em risco muito elevado de incêndio quase uma centena de outros municípios dos distritos de Viana do Castelo, Vila Real, Braga, Aveiro, Porto, Coimbra, Viseu, Bragança, Castelo Branco, Guarda, Leiria, Portalegre, Beja e Faro.

Em risco elevado de incêndio estão ainda outros quase 90 concelhos, nos distritos de Viana do Castelo, Vila Real, Bragança, Viseu, Porto, Aveiro, Leiria, Coimbra, Santarém, Lisboa, Setúbal, Portalegre, Évora, Beja e Faro. O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre o "reduzido" e o "máximo".