Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Ministério da Saúde admite rever atrativos para colocar médicos no Algarve

Tiago Miranda

O governante deu conta dessa intenção em declarações à margem da inauguração da Unidade de Cuidados Paliativos de Elevada Diferenciação do Centro Hospitalar São João, no Porto

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, admitiu esta segunda-feira, no Porto, que o Governo vai repensar a fórmula para atrair jovens médicos para o Algarve, depois do plano de mobilidade especial ter falhado.

O governante deu conta dessa intenção em declarações à margem da inauguração da Unidade de Cuidados Paliativos de Elevada Diferenciação do Centro Hospitalar São João, no Porto.

Confrontado com o insucesso do plano para dotar aquela região de mais 67 médicos, avançado ao jornal Público pelo presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, Paulo Morgado, o secretário de Estado prometeu resposta por parte do ministério.

"Vamos tentar, acima de tudo, voltar a olhar para a questão dos incentivos, da forma de reflexão e captação dos recursos", disse Fernando Araújo, lembrando ser o Algarve "uma área muito carenciada" onde houve "muita dificuldade ao longo dos últimos 10, 15 anos em conseguir captar e fixar" profissionais de saúde.

“Temos, portanto, de pensar muito bem em toda a forma de incentivos, de modo a alterá-los e torná-los atrativos para que jovens especialistas queiram iniciar um projeto de vida no Algarve”, reforçou.