Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

TVI condenada a pagar 20 mil euros a antigo suspeito do caso Maddie por lhe ter chamado "pedófilo"

Pistas II. O número de suspeitos possíveis chegou às duas dezenas. O inglês Robert Murat (em baixo) foi um dos principais. Mora a 150 metros do apartamento e era presença constante junto do casal McCann nos primeiros dias após o desaparecimento. Dez anos depois, o mistério permanece. Onde está Maddie?

foto leong/afp/getty

O britânico residente na Praia da Luz Robert Murat, que chegou a ser constituído arguido no caso do desaparecimento de Madeleine McCann, já recebeu mais de 700 mil euros em indemnizações pagas por vários órgãos de comunicação social britânicos

O Supremo Tribunal de Justiça condenou a TVI a pagar 20 mil euros de indemnização a Robert Murat, que chegou a ser constituído arguido no caso Maddie, por se ter referido ao britânico residente na Praia da Luz como "pedófilo".

De acordo com o Jornal de Notícias, o Supremo evidencia a "gravidade dos danos não patrimoniais causados", considerando que "o facto de os mesmos não serem exclusivamente atribuíveis" à TVI não exime aquela televisão de responsabilidade, "apenas relevando para a quantificação da indemnização" - isto porque em algumas situações as referências foram feitas em revistas de imprensa.

Os juízes deram como provado que o britânico, que vivia no Algarve, "ficou sem trabalho e dependente economicamente da sua mãe" e "era apontado e incomodado sempre que saía à rua", tendo mesmo recebido "ameaças dirigidas a si e aos seus familiares".

Murat já recebeu uma indemnização de mais de 700 mil euros de vários órgãos de comunicação social britânicos.

Em maio de 2007, Madeleine McCann, então com 4 anos, desapareceu na Praia da Luz, no Algarve, quando passava férias com os pais. Nunca mais foi vista.