Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Da Ciência dos Alimentos à Geoinformática: os novos cursos disponíveis

José Caria

Alargamento da oferta reflete tendências e novas necessidades de formação

Foram mais de 60 os pedidos de autorização para abertura de novas licenciaturas e mestrados integrados feitos pelas instituições de ensino superior à Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES). Mas nem todos foram autorizados ou abrirão vagas já para o próximo ano letivo. De acordo com a lista disponibilizada pela Direção-Geral do Ensino Superior há cerca de 30 que se estreiam, em áreas tão diversas como produção dos media até à indústria alimentar.

Por regra, as universidades e politécnicos não podem ter mais cursos do que o total apresentado nos anos anteriores. Mas o despacho do Ministério que fixa as orientações para a fixação de vagas permite exceções. Por exemplo, em áreas consideradas estratégicas para o país ou em que não haja oferta semelhante na mesma região. E esta possibilidade foi usada por várias instituições para diversificar a sua oferta.

As apostas revelam tendências e necessidades sentidas no mercado de trabalho. É o caso da cada vez maior importância atribuída à alimentação e o seu impacto na saúde. Não se estranha pois que as universidades de Lisboa, Nova de Lisboa e Trás-os-Montes e Alto Douro tenham decidido abrir a licenciatura em Ciências da Nutrição. No Instituto Politécnico de Santarém optou-se pela formação em Dieta Mediterrânica e Ciência dos Alimentos.

O Turismo é outras das áreas em foco. A Universidade da Madeira criou a licenciatura em Direção e Gestão Hoteleira e o Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) tem um novo curso chamado Turismo em Espaços Rurais e Naturais. Não é o único a abrir no IPC, que também estreará Sistemas e Tecnologias de Informação e Gestão Sustentável das Cidades.

O desenvolvimento do território também merece a atenção do ensino superior e a Universidade do Minho abrirá vagas em Proteção Civil e Gestão do Território.

Mais a sul, em Évora, outra das instituições que, por não se situar nos distritos de Lisboa e Porto, pode aumentar a sua oferta, criaram-se formações em Engenharia de Energias Renováveis e em Artes Plásticas e Multimédia e aumentaram-se vagas em Turismo, Matemática Aplicada à Economia e Gestão ou Engenharia Mecatrónica.

No Politécnico de Viana do Castelo alia-se a Engenharia do Ambiente à Geoinformática. Já no Instituto Politécnico de Bragança, há escolhas mais tradicionais, como Comunicação e Jornalismo, e outras menos óbvias como Música em contextos comunitários.

Na área de Audiovisuais e Produção dos Media haverá Design de Animação no Politécnico de Portalegre; Produção Multimédia em Educação no de Santarém; Cinema Documental em Tomar e Fotografia no politécnico do Porto.

A estes somam-se outras novidades e todos os cursos que já estavam em funcionamento, num total de 1068 opções de escolha para os candidatos ao ensino superior.