Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

O que é a Filosofia no século XXI?

Leemage

Na era da velocidade desenfreada, das alterações climáticas, da bioética, das migrações, a que desafios a disciplina de Platão tem de responder? Está a Filosofia a incluí-los no seu campo teórico ou continua a olhar apenas para trás? E até que ponto olhar para trás não é também olhar em frente? Ouçamos os filósofos.

Tales de Mileto, o primeiro filósofo e um dos sete sábios da Grécia Antiga, passou a vida à procura de um princípio único que sustentasse a natureza de todas as coisas. Claro que o encontrou: era a água. Pelo caminho, foi o primeiro a explicar e prever o eclipse solar, a enunciar teoremas geométricos vigentes até hoje e a esboçar, dois milénios antes de Darwin, as ideias nucleares do evolucionismo. Platão retrata-o no seu diálogo “Teeteto” como aquele que caiu num poço enquanto olhava para o céu, provocando o riso desdenhoso de uma escrava. Porque Tales, distraído com assuntos elevados, não via o que estava à frente dos seus próprios pés.

“Para que serve a Filosofia?” é uma pergunta tão antiga e provocatória como a própria Filosofia, que esta nunca se esquivou de formular. Que tem tantas respostas quanto filósofos houve e há. Porém, o mundo tornou-se ele próprio uma máquina de lançar questões a um ritmo tal que o pensamento filosófico não consegue acompanhá-lo. Não consegue ou não quer. E, não tendo propriamente caído no poço, também não parece estar a sair dele.

Para ler o artigo na íntegra, clique AQUI