Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Novas buscas da PJ no âmbito da Operação Lex

Gabinete de Natércia Pina alvo de buscas da Polícia Judiciária esta quinta-feira. Investigadas ligações ao juiz Rui Rangel, um dos principais arguidos na Operação Lex

A PJ realiza buscas no gabinete de Natércia Pina. A notícia está a ser avançada pela "Sic Notícias".

A agência Lusa avança que embora seja arguida na Operação Pratos Limpos, que investiga a sua atividade enquanto diretora dos serviços hoteleiros do Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, relacionada com concurso para a exploração de cafetarias e refeições nos hospitais públicos, as buscas ao escritório de Natércia Pina prendem-se com as suspeitas de troca de favores com o juiz Rui Rangel.

As alegadas trocas de favores relacionam-se com supostos pagamentos de despesas de Rui Rangel, em troca de decisões judiciais favoráveis para a arguida.

Rui Rangel foi indiciado em fevereiro pelos crimes de tráfico de influências, branqueamento de capitais e fraude fiscal. Rangel ficou proibido de contactar com alguns arguidos, foi suspenso das funções de juíz desembargador e obrigado a pedir autorização de cada vez que pretender deslocar-se ao estrangeiro, uma vez que tem dupla nacionalidade, portuguesa e angolana.

Além de Rangel são também arguidos na Operação Lex o presidente do Benfica Luís Fiipe Vieira, o vice do clube Fernando Tavares ou a juíza Fátima Galante.

No total, treze pessoas pessoas foram já constituídas arguidas neste caso.