Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Três diretores de serviço do Hospital de Faro demitem-se por dificuldades nos serviços

Em causa está falta de resposta para a sobrelotação de doentes e à alegada pressão para altas precoces

Os diretores dos três serviços de Medicina do Hospital de Faro estão demissionários devido à falta de resposta para a sobrelotação de doentes e à alegada pressão para altas precoces, denunciou esta terça-feira o Sindicato dos Médicos.

Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral do Sindicato Independente dos Médico (Sim), Jorge Paulo Roque da Cunha, disse que os três diretores dos serviços de Medicina do hospital do Algarve (Faro) pediram a demissão.

Segundo Roque da Cunha, aqueles serviços do hospital deparam-se com uma sobrelotação de doentes e com dificuldades de internamento.

O SIM refere que a administração do hospital tentou pressionar os serviços para que dessem altas antecipadas a doentes.

"É uma atitude irresponsável. Apelo a que o Ministério da Saúde invista no hospital do Algarve, invista nos serviços e os dote dos recursos humanos necessários", afirmou Roque da Cunha à Lusa.

O secretário-geral do Sim voltou ainda a lamentar os atrasos na abertura de concurso para cerca de 700 recém-especialistas hospitalares que concluíram o internato há mais de 10 meses.

A agência Lusa contactou o Hospital de Faro, ficando a aguardar uma declaração.