Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Eles estão a recuperar o gosto pelo pão em Portugal

TIAGO MIRANDA

Como a febre do pão artesanal está a alastrar pelo país

Ricardo Dias Felner

Mário Rolando, o poeta-padeiro, parou de dar aulas de panificação para abrir uma padaria artesanal com o chefe Vítor Sobral em Campo de Ourique, Lisboa, mas deixou seguidores fiéis, de chefes a padeiros amadores, novos artistas do pão empenhados em cortar com o passado recente. São eles quem está na frente de combate por um novo modelo de panificação, por um novo pão, pelo “verdadeiro pão”.

Ricardo Dias Felner conta como de Norte a Sul do país, a febre do pão artesanal promoveu a corrida a pequenos e médios produtores de cereal portugueses, recuperou moleiros tradicionais e fez nascer novos cursos e workshops, quase sempre esgotados poucas horas depois de abrirem as inscrições.

Uma reportagem publicada em fevereiro na Revista E que pode ler na íntegra AQUI