Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Ericeira, Óbidos, Vieira, Tocha, Mira, Quiaios: o fogo chegou ao mar

CARLOS BARROSO/LUSA

Não há nada normal neste dia de incêndios. Num outubro que nada tem de outono, os incêndios invadem as praias

Virgílio Azevedo

Virgílio Azevedo

Redator Principal

No pior dia do ano em fogos florestais há uma nova tendência que está a emergir: depois de devastar as regiões do interior, os incêndios estão a alastrar aos distritos do litoral e invadem as praias.

Dos cinco distritos onde hoje se concentram mais incêndios - Aveiro, Braga, Porto, Coimbra e Viseu - só um, Viseu, não é litoral. O fogo chegou à Ericeira, Óbidos, Quiaios (Figueira da Foz), Praia da Vieira, Praia de Pedrógão, Tocha e Praia de Mira.

O parque de campismo da Praia do Pedrógão, no concelho de Leiria, foi evacuado. O fogo chegou também ao parque de campismo da Praia da Vieira (Marinha Grande), onde estavam mais de 100 pessoas. O incêndio, que teve início em Alcobaça, alastrou-se depois aos concelhos da Marinha Grande e de Leiria. A localidade de Praia da Vieira, na Marinha Grande, foi evacuada.

No concelho de Viana do Castelo os bombeiros defenderam casa a casa o aglomerado habitacional de Castelo Neiva, com o vento forte a dificultar o trabalho dos operacionais no terreno.

Fogo na Mata Nacional de Quiaios

Uma zona industrial da Tocha, no concelho de Cantanhede, foi ameaçada pelo incêndio que começou na Mata Nacional de Quiaios, perto da Figueira da Foz, e que alastrou entretanto àquele concelho. A povoação da Praia da Tocha ficou isolada e o parque de campismo foi evacuado. As chamas que se dirigiam para a vila da Tocha atingiram uma altitude superior a 25 metros.

Em Mira, no distrito de Coimbra, os habitantes das urbanizações Miroasis e Miravillas refugiaram-se para o centro da Praia da Mira. Este incêndio teve origem em Quiaios, na Figueira da Foz, e atingiu também o concelho de Cantanhede.

Em Óbidos o fogo levou uma centena de bombeiros a proteger habitações das aldeias de Casais Ladeira, Perna de Pau e Olho Marinho. E foram cortados o Itinerário Principal IP6 (Peniche/Óbidos) e a estrada nacional EN114.