Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Gestora de fundos do GES multada pela CMVM

O colapso do BES continua a originar ações judiciais

Foto José Carlos Carvalho

A coima única determinada pelo conselho de administração da CMVM à Gesfimo foi de 300 mil euros. Porém, houve suspensão parcial da execução de metade da coima, 150 mil euros, por dois anos. Esta é a maior coima aplicada pela CMVM desde 2015

A Gesfimo, sociedade gestora de fundos de investimento imobiliário que pertencia ao Grupo Espírito Santo, foi multada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), devido a atos praticados em 2014, avança o “Jornal de Negócios” esta quinta-feira. A empresa do Grupo Espírito Santo (GES) aceitou vender imóveis sem saber quem era o comprador e sem saber de onde vinham os fundos utilizados na transação.

Segundo o matutino, a coima única determinada pelo conselho de administração da CMVM à Gesfimo foi de 300 mil euros. Porém, houve suspensão parcial da execução de metade da coima, 150 mil euros, por dois anos. Esta é a maior coima aplicada pela CMVM desde 2015.

Os factos imputados ocorreram quando a Gesfimo estava ainda na esfera do GES, até 2014 – a estrutura de participações recuava até à Rioforte, uma das sociedades de topo do grupo.

Na época, a Gesfimo fechou contratos de prestação de serviços de consultoria e mediação imobiliária com três sociedades sem cumprir a Lei n.º25/2008, que aplicou novas medidas de combate ao branqueamento de capitais e ao financiamento do terrorismo, que a obrigava a obter informação sobre quem eram os donos efetivos destas entidades.