Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Credores exigem 700 milhões à Brisa e ameaçam ficar com as concessões

Tiago Miranda

Credores ameaçam ficar com as concessões da A17, A41, A43 e A3

O Strategic Value Partners (SVP Global), o Deutsche Bank, o JP Morgan, o fundo Cross Ocean e o Banco Europeu de Investimento (BEI) estão a exigir à Brisa 700 milhões de euros pelas dívidas que as duas concessionárias da operadora de infraestruturas — Brisal e Douro Litoral — têm, avança o “Jornal Económico” esta sexta-feira.

A dívida bancária das concessionárias Brisal e Douro Litoral, de 1,6 mil milhões, que foi comprada pelos fundos, está a criar uma “guerra” entre os credores e a Brisa. Os fundos querem ser pagos, mas pedem um valor que a Brisa considera “inviável”. Os credores, por sua vez, ameaçam ficar com as concessões da A17, A41, A43 e A3.

Os atuais credores das duas concessionárias querem forçar a Brisa a pagar a dívida das concessionárias que compraram à banca com um desconto de 79,5%, escreve o “Económico”.

Pelo que apurou o semanário, os credores, que se vêem privados de receber a totalidade dos juros e capital em dívida desde que a adquiram aos bancos, querem receber já 325 milhões pela dívida da Brisa e 400 milhões pela dívida da Douro Litoral.

A Brisa considera que esta proposta é inviável. Fonte oficial da concessionária disse ao que jornal que a empresa “continua ativa na busca de uma solução equilibrada de longo prazo e está aberta ao diálogo”.