Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Suspeitas de subornos na Parque Escolar

Muitos antigos liceus como o Pedro Nunes (na imagem) estão de cara lavada, depois das obras de modernização do programa Parque Escolar

DR/José Manuel

Vários empreiteiros alegadamente pagaram a altos responsáveis da empresa pública, criada em 2007 para modernizar 332 escolas

A Polícia Judiciária está a investigar suspeitas de subornos na Parque Escolar. O “Correio da Manhã” explica esta quarta-feira que em causa estão alegados pagamentos de empreiteiros a altos funcionários da empresa pública, criada em 2007 pelo então primeiro-ministro José Sócrates e cujo objetivo era a requalificação de 332 escolas em todo o país.

O esquema passava, refere o jornal diário, por viciar as regras da contração pública. Aos envolvidos rendia milhões, enquanto as restantes construtoras concorrentes e o Estado saíam lesados.

Na terça-feira, várias pessoas foram constituídas arguidas na sequência de dezenas de buscas realizadas pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção a empresas e casas particulares de atuais e antigos responsáveis da Parque Escolar e de coordenadores das empresas de construção civil. Em causa estão os crimes de corrupção passiva, no caso dos decisores públicos, e de corrupção ativa, no caso dos empreiteiros.

Criado para modernizar mais de 300 escolas em todo o país, o projeto da Parque Escolar foi avaliado em 940 milhões de euros. Segundo as auditoria do Tribunal de Contas, ao fim de três anos, o projeto já estava avaliado em 3,2 mil milhões.