Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Reforço de capital do Novo Banco pode fazer derrapar o défice do próximo ano

ANT\303\223NIO PEDRO SANTOS

No âmbito do Programa de Estabilidade, o Governo de António Costa prometeu um défice global de 0,2% do PIB no próximo ano

Mário Centeno recebeu uma má notícia na quarta-feira. Já com os olhos no Orçamento de Estado para 2019 e com as contas do défice deste ano praticamente resolvidas, eis que surgiu o Novo Banco (via Fundo de Resolução) para estragar a matemática.

Conforme veio esta quarta-feira a público, o relatório de contas do primeiro semestre de 2018 da instituição liderada por António Ramalho antecipa a necessidade de vir a receber no próximo ano, “ao abrigo do Mecanismo de Capital Contingente celebrado com o Fundo de Resolução”, um montante “de 726.369 milhares de euros”. Este valor, de acordo com o “Jornal de Negócios” esta quinta-feira, poderá causar uma mossa de 0,35 pontos percentuais no défice orçamental do próximo ano.

A confirmar-se esse cenário, isso faria com que o défice do próximo ano derrapasse para 0,6% do PIB, um valor proibitivo para o Ministro das Finanças. No âmbito do Programa de Estabilidade, o Governo de António Costa prometeu um défice global de 0,2% do PIB no próximo ano.

O valor que o Novo Banco irá necessitar em em 2019 não é definitivo, alerta o relatório da instituição bancária. Este pode mudar ao longo do segundo semestre, já que “depende, à data de cada balanço, das perdas ocorridas e dos rácios regulamentares em vigor no momento da sua determinação, podendo variar em função destes fatores ao longo do exercício”.