Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

IRS de 2019 pode trazer dois bónus

ANT\303\223NIO PEDRO SANTOS

No próximo ano, os trabalhadores vão receber reembolsos reforçados por terem retido mais IRS do que deviam; o salário líquido deverá também crescer ligeiramente, de acordo com uma série de simulações feitas pela PwC para o “Jornal de Negócios”

O Orçamento de Estado para 2019 deverá trazer boas notícias para os portugueses em matéria de IRS. Caso o Governo proceda aos ajustamentos necessários nas tabelas de retenção (medida negociada com o BE e o PCP), os trabalhadores vão receber reembolsos reforçados por terem retido mais IRS do que deviam; o salário líquido deverá também crescer ligeiramente, de acordo com uma série de simulações feitas pela PwC para o “Jornal de Negócios”.

Para Ana Duarte, “tax director” da PwC, “a redução na retenção na fonte de IRS não acompanhou a redução do imposto final”. Por outras palavras: os trabalhadores tiveram de reter mais IRS do que o devido e serão compensados nos reembolsos no próximo ano.

Segundo as contas da PwC, um trabalhador com um salário bruto de 1.000 euros, que se aproxima da remuneração média no país, deverá receber um adicional de reembolso de 70 euros – ou seja, irá reter menos cinco euros por mês.

Já no caso de um trabalhador que recebe 1.500 euros brutos por mês, “a sua taxa de retenção na fonte baixou [este ano] de 18,5% para 18%, ou seja uma redução de 0,5 pontos. Contudo, para que a redução do IRS, decorrente da reformulação das taxas anuais de IRS, fosse integralmente reflectida na taxa de retenção na fonte, esta deveria sofrer uma redução de 0,95%”, lembrou Ana Duarte.

“Se o Governo decidir reflectir em 2019 a totalidade da redução do IRS, a taxa de retenção deveria ser reduzida em 0,45% face a 2018, fixando-se em 17,55%, o que significaria um incremento do rendimento líquido mensal de cerca de 6,75 euros”, explicou a fiscalista.