Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Três bancos pediram o adiamento da entrada em vigor do comparador de comissões, mas o BdP não cedeu

Foto José Carlos Carvalho

Pedidos foram feitos na consulta pública que o supervisor efetuou entre 10 de julho e 9 de agosto sobre a instrução que regula a criação da plataforma, conta o “Jornal de Negócios”. Os bancos em causa não são identificados

A plataforma de comparação de comissões bancárias, iniciativa do Banco de Portugal, é lançada esta segunda-feira. A partir de hoje, os portugueses vão poder comparar o valor de 93 comissões através da plataforma criada no Portal do Cliente Bancário, no site do Banco de Portugal, de forma a escolherem a instituição mais vantajosa para as suas necessidades.

Segundo o “Jornal de Negócios”, três instituições financeiras pediram, nos últimos meses, à instituição liderada por Carlos Costa o adiamento desta iniciativa, devido ao elevado esforço que as adaptações exigem dos seus sistemas. Estes pedidos foram feitos na consulta pública que o supervisor efetuou entre 10 de julho e 9 de agosto sobre a instrução que regula a criação da plataforma, conta o matutino. Os bancos em causa não são identificados.

“Atendendo à complexidade e dimensão das tabelas que devem integrar o ficheiro de comunicação ao Banco de Portugal, o prazo de 10 dias úteis para reporte da primeira comunicação afigura-se insuficiente, pelo que sugerimos o seu alargamento para 30 dias”, solicita, por exemplo, uma instituição financeira.

Apesar dos apelos, o Banco de Portugal não cedeu. “O referido sítio na Internet tem de ser disponibilizado por este Banco até ao próximo dia 1 de outubro, pelo que se entende não existir margem para prorrogar o prazo previsto, na medida em que está em causa o cumprimento de um imperativo legal”, frisou o Banco de Portugal, na resposta aos pedidos das instituições financeiras.