Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Reformas chegam com quase nove meses de atraso a novos aposentados

marcos borga

O sistema informático de contraordenações da Segurança Social está a funcionar a meio gás, “após 18 meses de paragem total”, revelou o sindicalista José Abraão, em declarações ao “Correio da Manhã”

A atribuição de novas pensões pela Segurança Social regista, neste momento, atrasos que, em alguns casos, que atingem os nove meses. Esta denúncia foi feita pela FESAP, escreve o “Correio da Manhã” esta terça-feira.

Segundo o sindicato, existem cerca de 3500 reclamações por tratar nos serviços centrais da Segurança Social, a maioria delas há mais de um ano.

Em declarações ao “CM”, José Abraão, líder da FESAP, garantiu que no caso das novas pensões, o tempo de espera chega aos “oito e nove meses”. “A contratação de 100 trabalhadores precários em regime de outsourcing não resolve o problema, porque estes temas exigem conhecimento técnico”, disse o sindicalista.

Além da acumulação de reclamações, também o sistema informático de contraordenações da Segurança Social está a funcionar a meio gás, “após 18 meses de paragem total”, revelou José Abraão.

“Não há processos de contraordenação de empresas que não estejam a pagar as contribuições dos trabalhadores e não sabemos os valores que estão por cobrar, daí a nossa preocupação e o pedido de reunião com o ministro do Trabalho”, explicou.