Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

CP vai propor ao Governo financiamento de €1350 milhões para os próximos 15 anos

Peter Charlesworth/Getty

CP pretende cobrar ao Estado cerca de 90 milhões por ano, nos próximos 15 anos

Com a liberalização do transporte ferroviário de passageiros a entrar em vigor a partir de 1 de janeiro de 2019, a Comboios de Portugal (CP), transportadora que atravessa uma fase conturbada, já prepara os próximos 15 anos - período no qual irá firmar um contrato de prestação de serviços com o Estado.

Segundo o “Jornal Económico” esta sexta-feira, o contrato que a CP pretende propor ao Estado vai custar ao erário público cerca de 1350 milhões de euros nos próximos quinze anos, ou seja, cerca de 90 milhões por ano.

“Em tempo oportuno, este ano, foi apresentado ao Governo o quadro regulatório para o Governo fazer com a CP a chamada modalidade de ajuste direto. (...) [O Governo] pode concessionar por 15 anos. A administração da CP apresentou um vastíssimo e estruturado documento, por sinal recorreu a alguns consultores jurídicos especialistas neste domínio. Está apresentado ao Governo esse quadro para o Governo legislar”, revelou na passada terça-feira, Carlos Gomes Nogueira, presidente da CP, na audição perante a Comissão Parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas.

O mesmo responsável da CP adiantou ainda na semana passada que esperava que “até final de setembro” o trabalho do lado da transportadora estivesse completamente pronto para que o Governo possa tomar decisões, “quer em matéria de ajuste direto, quer em termos de contrato de serviço público”.