Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Alojamento local em Lisboa aumentou mais de 3000% desde 2010

Quando se pede a reavaliação do IMI esta tanto pode subir como descer, mas com o simulador da Deco percebe-se facilmente, e com rigor, se compensa fazê-lo ou não

Luís Barra

Nos primeiros dois meses de 2018 foram registados mais 734 novos estabelecimentos de Alojamento Local em Lisboa

Desde 2010, o Alojamento Local (AL) mudou o rosto de Lisboa, proliferou além de todas as expectativas. Há oito anos, existiam 259 estabelecimentos de alojamento local na capital. Chegados a 2018, o número passou para 9833. Ou seja, entre 2010 e 2017, o alojamento local da capital disparou mais de 3000% e representa perto de um quinto do total nacional (mais de 51 mil estabelecimentos), avança o “Público” esta terça-feira.

O verdadeiro “boom” do AL deu-se em 2014 e desde então não há indícios que esteja a abrandar. Só nos primeiros dois meses de 2018 foram registados mais 734 novos estabelecimentos, conta o matutino.

Ao contrário do que se poderia esperar, o crescimento do AL não afetou a saúde da indústria hoteleira: o número de dormidas nos hotéis lisboetas passou de seis milhões em 2010 para 11 milhões em 2016, enquanto o número de camas disponíveis também cresceu, de 35 mil para 50 mil no mesmo período.

Estes dados fazem parte de um estudo sobre o impacto económico do alojamento local em Lisboa apresentado no início de julho no congresso da Associação Portuguesa de Desenvolvimento Regional. A análise aos dados foi feita por professores catedráticos da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e da universidade norte-americana de Rutgers.