Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Manuel Pinho não declarou rendimentos vindos do GES ao Tribunal Constitucional enquanto era ministro

Ana Baião

Enquanto ocupou o cargo de ministro da Economia - de março de 2005 a julho de 2009 -, Pinho terá recebido do saco azul do GES 14.963 euros por mês

Manuel Pinho, antigo ministro da Economia durante o primeiro Governo de José Sócrates, entrou e saiu do Parlamento, na terça-feira, sem nunca chegar a explicar o como e o porquê de ter recebido 778 mil euros da Espírito Santo Enterprise, empresa do Grupo Espírito Santo (GES) suspeita de ser um saco azul para o pagamento de luvas e salários não declarados ao Fisco, avança o “Correio da Manhã”.

Questionado sobre os dinheiros do GES, o ex-ministro recusou-se a dar qualquer explicação. “Eu vim cá para falar da política de energia quando era ministro”, disse Manuel Pinho.

Enquanto ocupou o cargo de ministro da Economia - de março de 2005 a julho de 2009 -, Pinho terá recebido do saco azul do GES 14.963 euros por mês.

Porém, nas declarações de rendimentos que Pinho entregou no Tribunal Constitucional, e que o “CM” consultou, não constam sinais dos alegados pagamentos do GES.

Segundo o matutino, na declaração apresentada em março de 2006, Pinho declarou um rendimento de quase 491 mil euros em 2005, semelhante ao obtido em 2004 (como administrador do BES), mas nos três anos seguintes declarou rendimentos inferiores: 87.109 euros, em 2006; 88.086 em 2007; e 89.936 euros, em 2008, valores correspondentes ao salário e despesas de representação de ministro.

Como noticiou o Expresso ainda ontem, Manuel Pinho apenas deverá ser interrogado no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) em setembro.