Siga-nos

Perfil

Expresso

Revista de imprensa

Em 2017, 64% dos pedidos de asilo em Portugal foram recusados

FOTO tiago miranda

Ao nível europeu, só seis Estados tiveram taxas de rejeição de asilo superiores: Polónia, França, Hungria, Croácia, Reino Unido e Bulgária

Portugal recusou quase dois terços dos pedidos (64%) de asilo que recebeu em 2017, indica um relatório sobre o país entregue à Asylum Information Database, do Conselho Europeu para os Refugiados e Exilados. Esta notícia é avançada esta quarta-feira pelo “Jornal de Notícias”.

Ao nível europeu, só seis Estados tiveram taxas de rejeição superiores: Polónia, França, Hungria, Croácia, Reino Unido e Bulgária.

Segundo Teresa Tito Morais, presidente do Conselho Português para os Refugiados (CPR), estão em causa recusas de pedidos espontâneos de asilo, à entrada de Portugal, já que as pessoas vindas ao abrigo de acordos internacionais têm sempre lugar garantido.

A representante máxima do CPR disse também não ter ficado surpreendida com a taxa de recusa. Muitos migrantes não reúnem as condições previstas na Convenção de Genebra, para pedirem asilo, explicou: podem ser migrantes económicos, mas não são perseguidos no seu país, o que é uma das condições para receber com o estatuto de refugiado.