Siga-nos

Perfil

Expresso

Regiões

UNESCO aprova geoparque

Os municípios do alto Tejo português viram atracção internacional devido à importância dos seus sítios geológicos.

No entender de Armindo Jacinto, presidente da Naturtejo, a aprovação da candidatura portuguesa é «o reconhecimento do excelente trabalho feito por nós, autarquias e técnicos, ao longo dos últimos três anos», e é também «um prémio para muitas pessoas que acreditaram no projecto e que lhe deram muito de si, sem nada em troca».

A oficialização deste processo que agora termina e que Armindo Araújo considera ser «uma mais-valia para o desenvolvimento sustentável da actividade turística e da economia regional», será feita em Setembro, na Inglaterra.

No passado mês de Maio deu-se um avanço importante com a vinda do grego Nikolaos Zouros, o coordenador da Rede Europeia de Geoparques, aos seis concelhos da Naturtejo, porque aquele responsável fez uma avaliação francamente positiva a alguns dos 16 sítios geológicos propostos pela candidatura liderada pelo geólogo Carlos Neto de Carvalho.

Nikolaos Zouros visitou o Museu do Canteiro, em Alcains, o percurso pedestre Rota da Gardunha (o qual integra as freguesias de Louriçal do Campo e S. Vicente da Beira), Parque Natural do Tejo Internacional (Segura), Monsanto, Penha Garcia, Foz do Cobrão (Vila Velha de Ródão), Portas de Vale Mourão (Proença-a-Nova), meandros do Zêzere (Oleiros) e Cunhal do Arneiro (Nisa). E, pelo caminho, efectuou ainda um passeio de barco no Rio Tejo (Vila Velha de Ródão).

O desenvolvimento deste projecto visava a obtenção de uma marca de excelência tutelada pela Unesco para o turismo em espaço natural, a projecção do território Naturtejo e consequentemente de Portugal, a nível internacional através de uma rede, em crescimento exponencial, de 35 geoparques espalhados por 10 países da Europa e pela China.

Armindo Jacinto explicou que «a Naturtejo passa a ser divulgada a nível mundial, através da promoção que é feita em cada um dos geoparques», lembrando valer «aobrigatoriedade de promoção conjunta de todos os geoparques e o compromisso de entreajuda para o desenvolvimento sustentado dos terri tó rios onde estão inseridos».

De referir que o Parque Iconológico de Penha Garcia, em Idanha-a-Nova, o monumento natural das Portas de Ródão, em Vila Velha de Ródão, os meandros do Rio Zêzere, em Oleiros, a mina de ouro romana do Conhal do Arneiro, em Nisa, o antigo complexo mineiro de Monforte da Beira, em Castelo Branco, e o miradouro geomorfológico das Corgas, em Proença-a-Nova, são alguns dos 16 geomonumentos que motivaram a candidatura e a distinção.