Siga-nos

Perfil

Expresso

Regiões

Fórum Caldas vai avançar

Trata-se de um centro comercial novo, com três salas de cinema e 60 lojas, e um hotel reconstruído com 70 quartos. 

Está finalmente aprovada, pela Comissão Regional do Oeste , a construção do Fórum Theatrum e do Hotel Termal Lisbonense, nas Caldas da Rainha. A Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional (CCDR) tinha chumbado a pretensão da empresa construtora, a FDO, devido à existência de uma linha de água que corre junto ao Hotel Lisbonense. No entanto, a Câmara terá informado que esta linha de água já fora “emanilhada” e que até já existe ali uma urbanização.

Desta forma o projecto foi aprovado, apenas com o voto contra da associação representativa do comércio tradicional, alegando os seus dirigentes Vieira Gonçalves e Manuel Soares, respectivamente, presidente e vice-presidente, que "este projecto irá contribuir para a destruição do comércio tradicional das Caldas da Rainha”.

Em Junho a Câmara das Caldas já tinha deferido a informação prévia requerida pela FDO para a construção de um centro comercial junto ao antigo Hotel Lisbonense, que será também recuperado. Dois meses antes, a empresa tinha apresentado uma primeira proposta que foi recusada pela Câmara, por não contemplar ainda a recuperação do hotel. Apenas referia o projecto da unidade comercial.

O pedido foi depois deferido mediante condicionantes, nomeadamente a apresentação de um estudo de tráfego e execução das condições que este impuser, a apresentação de elementos de interligação às ruas envolventes e alteração do que estava previsto fazer na fachada do hotel, entre outras questões. As palmeiras existentes nas traseiras do actual edifício terão que ser transladadas para o espaço entre o centro comercial e o hotel.

O Hotel Termal Lisbonense e o Fórum terão quatro pisos acima do solo e três pisos em cave, para estacionamento subterrâneo com 578 lugares. O hotel terá 70 quartos.

A zona comercial abrangerá 60 lojas de pequena, média e grande dimensão, estruturadas ao longo dos percursos pedonais, praças e esplanadas, dando ênfase a um grande espaço central. A zona de restauração concentra-se no piso superior.

Estão previstas três salas de cinema e um hipermercado, cuja marca ainda não foi divulgada.

O projecto está avaliado em 45 milhões de euros.