Siga-nos

Perfil

Expresso

Regiões

Coruche requalifica zona ribeirinha

O investimento de €9,8 milhões vai melhorar a qualidade de vida dos habitantes e potenciar a oferta turística da vila

ESTÁ EM curso o maior investimento público de sempre em Coruche - cerca de 9,8 milhões de euros - num conjunto de projectos que, além de resolverem os problemas de saneamento básico na vila, prometem transformar totalmente a zona ribeirinha do rio Sorraia. «Potenciar a oferta turística e aumentar a qualidade de vida dos coruchenses» são os grandes objectivos desta intervenção, explicou o presidente da autarquia, Dionísio Mendes.

As obras, que já estão em curso e devem ficar concluídas no segundo trimestre de 2007, referem-se a uma nova Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR), um emissário, um interceptor de cintura, sistema elevatório e um dique de protecção contra cheias. Os equipamentos ligados ao saneamento básico vão fazer a recolha de todos os efluentes domésticos e pluviais, encaminhando-os directamente para a ETAR, em vez de serem despejados directamente no Sorraia, como acontece hoje. «Coruche vai deixar de ser a única sede de concelho que não tem um sistema adequado ao tratamento dos esgotos», garantiu Dionísio Mendes.

O dique de protecção servirá sobretudo para travar as cheias que ciclicamente afectam a vila. Com um custo que ultrapassa os dois milhões de euros, o novo troço tem cerca de 900 metros, e irá ligar-se àquele que já foi edificado aquando da construção do parque Sorraia, ficando com mais de dois quilómetros de extensão e abrangendo praticamente toda a vila. Embora não se possa garantir que nunca mais haverá cheias em Coruche, em situações de grande enchente do rio, dificilmente as águas do Sorraia ultrapassarão a cota máxima de cheia do dique, 18,30 metros.

Ligada a esta obra, está também prevista toda a requalificação da zona ribeirinha junto ao rio, onde, além de criar espaços públicos de lazer para a população, a autarquia pretende sobretudo atrair gente à vila através da dinamização turística desta área que se estende do parque Sorraia à ETAR (que está a ser construída já depois da estação de caminhos de ferro). Toda a zona irá sofrer uma profunda transformação paisagística, de forma a que os transeuntes possam desfrutar da vista sobre o rio não só na parte superior da margem, mas também num passeio pedonal que vai nascer junto à margem, e que atravessa por baixo a ponte do Sorraia Velho, em direcção ao parque da vila.

Além disso, a requalificação da zona ribeirinha criará uma praia fluvial, uma pista de pesca desportiva e dará condições aos amantes dos desportos náuticos, desde a canoagem ao remo.