Siga-nos

Perfil

Expresso

Regiões

Colunas vazias no Jardim do Paço

Após as obras de requalificação da estatuária do Jardim do Paço Episcopal, dezenas de colunas em granito não ostentam qualquer tipo de objecto: os vasos que elas seguravam foram dali retirados e muitas colunas permanecem vazias.

O conjunto de estatuária, que enriquece e torna único o Jardim do Paço Episcopal em Castelo Branco, regressou ao lugar original após meses de operações de restauro, supervisionadas pela Direcção Regional do Instituto Português do Património Arquitectónico (IPPAR). Mas quem visita o local pode ficar algo surpreendido ao constatar que muitas colunas continuam sem os vasos que seguravam.

O jardim de estilo barroco foi criado no século XVIII pelo bispoJoão de Mendonça. O elevado número de estátuas está organizado por percursos iconográficos. Ali o visitante pode observar o ciclo do Zodíaco completo, as quatro partes do mundo (excepto a Europa), as quatro estações do ano, as três virtudes teológicas (fé, esperança e caridade), as quatro virtudes cardeais (justiça, prudência, fortaleza e temperança) e os reis de Portugal, entre outros. A morte, o juízo, o inferno e o paraíso encerram este percurso iconográfico carregado de simbolismo. O jardim integra ainda cinco lagos com repuxos.

Depois da requalificação recente ao nível da estatuária, dos lagos e da massa arbustiva e arbórea o jardim ficou mais fiel ao seu esplendor original. Mas cerca de 40 colunas de granito permanecem vazias, após terem sido retirados dali os vasos.